Impeachment: Roesler dá novo prazo ao Tribunal do Impeachment

O prazo serve para que os membros analisem as peças enviadas pelo Superior Tribunal de Justiça a respeito do arquivamento da investigação contra o governador afastado Carlos Moisés da Silva e outras peças protocoladas pelos denunciantes e pelo denunciado

Foto: Bruno Collaço/Alesc
- PUBLICIDADE -

O presidente do Tribunal de Justiça de SC (TJSC) e do Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment, desembargador Ricardo Roesler, concedeu nesta sexta-feira (16) mais 48 horas de prazo para que os membros do Tribunal façam alguma manifestação acerca dos fatos novos que entraram nos autos nesta semana. O prazo serve para que os membros analisem as peças enviadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a respeito do arquivamento da investigação contra o governador afastado Carlos Moisés da Silva e outras peças protocoladas pelos denunciantes e pelo denunciado.

No despacho publicado nesta sexta, Roesler também confirma a inclusão das peças do STJ nos autos do Tribunal do Impeachment, que foram pedidas pelo deputado Valdir Cobalchini (MDB) ao final do ano passado e postergaram o julgamento. Serão anexados o pedido de arquivamento do inquérito pelo Ministério Público Federal (MPF), o relatório da Polícia Federal, e a decisão do ministro Benedito Gonçalves, relator do caso no STJ.

- PUBLICIDADE -

Os documentos apontam para inexistência de indício de crime por parte de Moisés na compra dos 200 respiradores da Veigamed em abril de 2020, por R$ 33 milhões. Nos autos, já haviam informações do Ministério Público de SC (MPSC) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC) também neste sentido. Ainda não há data oficial para o julgamento final sobre o governador afastado.

Via Rede Catarinense de Noticias 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.