Governador participa da inauguração do Cobusiness, na Satc

Evento foi realizado na tarde desta quinta-feira

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Em visita a Criciúma, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva, acompanhado de parlamentares e secretários do Estado, esteve na inauguração do Cobusiness, uma plataforma colaborativa que une a Satc, a indústria e a sociedade. O espaço, que está integrado ao Programa de Inovação Corporativa da instituição, tem como objetivo fomentar o surgimento de novos produtos e negócios, além de estimular o desenvolvimento econômico da região.

- PUBLICIDADE -

“Precisamos pensar Criciúma, pensar inovação, mas também pensar novas políticas para o carvão. Conversamos sobre a importância de se investir em todas as casas inovadoras de Santa Catarina, por isso, temos que valorizar aquilo que está ligado à gestão pública estadual para que a gente não abandone aquilo que criamos. É semelhante ao que digo sobre as rodovias federais, estaduais ou municipais, todos nós andamos nelas e não interessa da onde vem o dinheiro, o cidadão quer que funcione bem”, declara Moisés.

O novo espaço é uma plataforma onde 12 empresas poderão dedicar-se aos seus próprios negócios e produtos. Além do suporte técnico e especializado oferecido por doutores e mestres da UniSatc, o Cobusiness conta com a parceria da Stars Aceleradora, do Rio Grande do Sul, que busca impulsionar os novos empreendimentos. O investimento para viabilização do projeto veio através da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc), junto à emenda parlamentar do deputado Ricardo Guidi, obtida através de esforços da administração municipal, e com recursos da própria instituição.

“A Satc tem uma importância extraordinária para a cidade de Criciúma, mas é graças ao carvão. Se não fosse o mineral, não existiria esse grande espaço institucional que recebe o menino e a menina quando pequenos, e devolve para a sociedade homem e mulher preparados para transformar o mundo. Nas grandes empresas de Santa Catarina e do Brasil, você encontra alguém que passou pela Satc. O carvão tem essa importância”, frisa Salvaro, durante a ocasião.

Moisés ainda destaca a colaboração entre Estado e município, que rendeu investimentos importantes para Criciúma. “É uma parceria importante. Mas, não para por aqui. A nossa intenção, quando a gente vem ao município, e falamos também da Amrec, Amesc e Amurel, o Sul de Santa Catarina, historicamente, é uma região que ficou para trás. Entra governo, sai governo, e a gente sentia isso. Eu conheço a região e sei das necessidades que nós temos. São muitas obras, muitos feitos. Alguém disse: “ah, os cofres estão cheios”, mas não é assim, a gente economizou, organizou a casa, mas não queremos os cofres cheios, queremos fazer convênios com os municípios”, pondera o governador.

Durante o encontro, Salvaro aproveitou para agradecer todo o apoio obtido junto ao Estado, e frisar a importância do carvão para toda a região. “Hoje, a Satc e o setor carbonífero devem muito agradecer ao governador. Porque nesse momento difícil que o carvão vive, se não tiver ação política, talvez nós tenhamos uma data marcada para chegarmos ao final. E o governador disse: ‘Eu estou com vocês”. Esteve conosco alguns vezes em Brasília, enviou o projeto de lei para o legislativo catarinense aprovar. O Estado que mais produz carvão no Brasil ainda não tinha uma política. Então, hoje, é o dia de dizer muito obrigada”, finaliza o prefeito de Criciúma.

Dentro do Programa de Inovação Corporativa, ainda existe, além do Cobusiness, recém-inaugurado, o Cocreation e o Colearning. Juntos, os três dão impulso ao desenvolvimento de soluções para os empreendedores. “Nosso foco é desenvolvimento da tecnologia e inovação. A Satc foi criada há em 1959 e, há 62 anos, está ligada ao carvão. Ela é gerida por empresários e o que a gente faz aqui visa trabalhar para que as empresas produzam mais e, assim, possamos trabalhar com a inovação. Não estamos inaugurando um espaço, e sim, um programa. O espaço faz parte do programa que visa ajudar os empreendedores e acelerar o processo de inovação”, explica o diretor executivo da instituição, Fernando Luiz Zancan.

O estímulo aos empreendedores é uma das principais diretrizes ligadas ao novo projeto. “Inovação não se faz sozinha, se faz com colaboração e multidisciplinaridade. Tendo esses fatores, o que estamos fazendo aqui é propiciar que 12 empresas fiquem neste espaço e que tenham mentoria para inovação”, finaliza Zancan.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.