Com mudanças em vista, Daniela assume hoje como governadora

Ela substituirá Carlos Moisés, que foi afastado durante o processo de impeachment. Secretarias devem ser alteradas

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Pela segunda vez em menos de seis meses, Daniela Reinehr (sem partido) assume interinamente o Poder Executivo de Santa Catarina. A vice-governadora será empossada oficialmente hoje, ao meio-dia, em razão do afastamento de Carlos Moisés, na última sexta-feira, durante o processo de impeachment.

Natural de Maravilha, no Oeste, Daniela ficará à frente do Governo do Estado por até 120 dias – prazo do afastamento de Moisés. E a expectativa é pelos reflexos desta mudança.

- PUBLICIDADE -

Um deles, inclusive, já está sacramentado. Após a votação do Tribunal Especial de Julgamento, que culminou com o afastamento de Moisés, o Chefe da Casa Civil, Eron Giordani, pediu exoneração do cargo. Ele havia se tornado o homem forte da atual gestão, após o retorno do governador do primeiro afastamento, em novembro do ano passado. Antes disso, ele havia sido o chefe de gabinete da presidência da Assembleia Legislativa (Alesc). Daniela, inclusive, já manifestou que uma das prioridades é acertar com o substituto de Giordani.

Nomes para as secretarias

Assim como em outubro, Daniela passa agora a possuir plenos poderes de nomear a equipe de governo e gerenciar o orçamento do Estado por até 120 dias. E outras mudanças devem ocorrer.

Principal pasta durante a pandemia, a Saúde pode mudar de dono. Segundo o deputado estadual Jessé Lopes (PSL), que assim como Daniela, pertence à ala bolsonarista, afirmou nas redes sociais que a deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania) irá assumir a Secretaria, no lugar de André Motta Ribeiro, que está no cargo desde maio do ano passado.

De acordo com Lopes, a orientação será pelo não ao lockdown e institucionalização do tratamento precoce contra a Covid-19. Carmen, inclusive, já havia sido convidada para o cargo por Moisés em 2020, mas não aceitou.

Dois nomes indicados por Moisés após retornar do primeiro afastamento aparecem como dúvidas. Luiz Fernando Vampiro (MDB), na Secretaria da Educação, e Altair Silva (PP), na Secretaria da Agricultura. Daniela destacou que vai se manifestar depois de assumir o cargo.

Já o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merísio (PSDB), negou fazer parte da equipe montada por Daniela.

Experiência no cargo

Daniela Cristina Reinehr nasceu no dia 4 de abril de 1977. Poucos dias antes de completar 44 anos, ela irá assumir o governo estadual pela terceira vez.

A primeira vez ocorreu entre os dias 6 e 17 de janeiro de 2020, durante licença de Carlos Moisés. Foi por este período, inclusive, que Daniela acabou entrando no pedido de impeachment pelo reajuste dos procuradores. Porém, diferente do governador, ela acabou inocentada na primeira sessão do Tribunal Misto de Julgamento.

A partir do afastamento de Moisés, Daniela assumiu o cargo interinamente por um mês. Em sua primeira coletiva como governadora em exercício, no dia 27 de outubro de 2020, apontou que o foco de seu governo seria a recuperação econômica.

Além disso, também pontuou que assumiria o cargo diante de uma crise, agravada pela pandemia, e o Estado com a credibilidade fragilizada após o primeiro processo de impeachment de Moisés. Ela ficou no cargo até 27 de novembro, quando houve a absolvição e retorno de Carlos Moisés (PSL).

Após a absolvição do governador, Reinehr retomou seu posto. Ela, inclusive, já havia comandado interinamente o Estado

Quem é a governadora interina

Mãe de dois filhos, Reinehr é advogada há 19 anos, com experiência em Direito Empresarial, Administrativo, Comércio Exterior e Direito Civil. Além disso, é produtora rural, ex-policial militar, empreendedora e defensora das causas de pessoas com necessidades especiais.

Daniela Reinehr formou família em Chapecó, onde passou a dedicar-se ao exercício do Direito. Foi na cidade também que ela decidiu ingressar na vida política. Na época da campanha eleitoral em 2018, foi considerada uma outsider, como quase todos os candidatos do PSL, partido pelo qual concorreu às eleições ao lado de Carlos Moisés e que deixou em 2019.

Reinehr ingressou no partido em 2018, após despontar como uma liderança do movimento “Nas Ruas”, em Chapecó. A princípio, era pré-candidata a deputada estadual. Na convenção do partido na época, depois da decisão de apresentar um candidato ao governo, o nome da novata na política surgiu com destaque. Assim, Reinehr passou a ocupar a segunda posição mais importante do Executivo estadual.

A matéria completa você confere na edição do Jornal Tribuna de Notícias desta terça-feira

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.