Câmeras de segurança nas ruas de Criciúma voltam à pauta do Forcri

Fórum das Entidades de Criciúma se reúne com diretor de tecnologia da Secretaria de Estado da Segurança Pública nesta sexta-feira

Foto: Arquivo/TN

- PUBLICIDADE -

O Fórum das Entidades de Criciúma (Forcri) se reúne nesta sexta-feira, 22, com o diretor de tecnologia da Secretaria de Estado da Segurança Pública, tenente-coronel Daniel Rodrigues, para debater a instalação de novas câmeras de monitoramento para a cidade.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

“No dia 22 de julho, estivemos reunidos na Acic com os representantes das forças de segurança da cidade, onde conhecemos o projeto de monitoramento de São José, montamos uma comissão, estudamos o projeto e voltamos a conversar com a Polícia Militar. Na sequência, se abriu processo de agentes temporários, as vagas foram preenchidas e logo teremos esses profissionais no Batalhão para acompanhar o videomonitoramento”, informa o presidente do Forcri, Leandro Eufrasio Teixeira.

A segurança pública está entre as principais bandeiras do Fórum de Entidades de Criciúma e foi a primeira pauta a ser tratada pela nova diretoria da entidade. “Fundado em 2014 por meio de uma demanda de melhoria na segurança pública, o Forcri vem desde então comprometido a pensar Criciúma e região com o objetivo central de implementar o debate público das questões que são inerentes ao desenvolvimento, com ações conjuntas entre a sociedade civil, comercial, industrial e Poder Público”, reforça Teixeira.

Ainda conforme o presidente, inúmeras ações já foram fomentadas pelo fórum desde a sua implantação. “Através de seus membros e das entidades, buscamos as principais demandas e problemas da região, para que unidos possamos contribuir com a solução desses desafios. Já promovemos a campanha com empresários de Criciúma para viabilização do SAER (Serviço Aeropolicial); apoio às Forças de Segurança de Criciúma e região para modernização da frota, aquisição de armamento e aumento de efetivo”, enumera Teixeira.

O Forcri ainda promoveu campanha para não judicialização da privatização da BR-101, atuou como propulsor da importância da utilização da máscara no início da pandemia da Covid-19; firmou parceria com a Fiesc no projeto Google For Education; apoio ao movimento a favor do carvão mineral, além da busca pela melhoria contínua no sistema de videomonitoramento das câmeras de vigilância de Criciúma.

O Fórum é formado pelas entidades: Rotary, Lions, Acic, CDL e Somarsul (lojas maçônicas).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.