A oração ensina nossa alma a ser paciente

A coluna completa você confere na edição do Tribuna de Notícias


- PUBLICIDADE -

A vida não para. A vida é rara. Jesus o tempo todo vivia alertando as pessoas para a preciosidade do encontro presente. Jesus ensina que a partir do momento em que nós estamos juntos, vivendo em torno de um ideal comum, a vida nos confraterniza.

Às vezes ficamos tão preocupados com um futuro que nem sabemos se vamos ter. Tudo hoje nos convida a ir com muita pressa. E se a gente não cuida, entra nesse ritmo acelerado que impede de perceber a própria vida.

- PUBLICIDADE -

Falta apreciar a vida, nesta viagem que fazemos. É interessante que quando pegamos a estrada, a nossa ansiedade é chegar, por isso, que aceleramos tanto, andamos acima da velocidade permitida, colocando em risco nossa vida, a vida do outro, porque nos falta a percepção que na viagem o importante é o ir. A graça não está no destino final, mas em cada etapa deste deslocamento que nos leva a estar neste lugar.

Nós precisamos prestar atenção no ritmo que estamos dando a nossa alma. Muitas vezes, fazemos ela viver num ritmo que sufoca, que mata aos poucos. E o que impõe este ritmo a alma? O corpo. Nós não podemos separar as duas realidades.

Para ter saúde é preciso administrar as necessidades do corpo. É preciso compreender o mecanismo do corpo, como é que ele funciona. Quais necessidades ele tem.  Já a alma precisa de oração e silêncio. Claro é o corpo que faz o silêncio, mas quando o ele silencia, até a alma sentir o silêncio leva tempo. Sempre damos ao corpo um ritmo alucinante e então a alma tem dificuldade de descansar.

E a verdadeira oração é aquela que calado o corpo, a alma também começa a se calar. Ao disciplinar o corpo numa quietude e silêncio, a alma entra neste contexto que é onde a gente vai ter a oportunidade de ouvir Deus falar com a gente.

É preciso restituir no coração o que você vai ter que oferecer depois aos outros. Observe se as pessoas não estão querendo tudo de você e deixando você sem tempo para se preencher. Quando nós oferecemos a Deus o nosso serviço e esquecemos de oferecer a Ele o nosso coração, Deus não poderá restituir aquilo que eu ofereço. E em pouco tempo eu estarei oferecendo a mim, só a mim, e isso vai desgastar demais. Vou ficar cansado. Vou perder a paciência. Vou ficar estressado. Vou ficar bruto com as pessoas e vou esquecer a delicadeza que é característica de todo cristão. Portanto, não tenha medo de se dar ao luxo de 10 minutos por dia para você. Ofereça tempo a sua alma.

O conteúdo completo você acompanha na edição impressa do Jornal Tribuna de Notícias ou no TN Digital. Leia esta e muitas outras colunas, ligue para o (48) 3478-2900 e assine!

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.