Impeachment: sessão será virtual

A coluna completa você confere na edição do Tribuna de Notícias

- PUBLICIDADE -

A sessão de julgamento do impeachment do governador Carlos Moisés da Silva, referente à fraude dos respiradores, será totalmente virtual, em função do cenário gravíssimo da pandemia em Santa Catarina.

A decisão foi tomada pelo presidente do Tribunal Especial de Julgamento, desembargador Ricardo Roesler, depois de consultar os cinco desembargadores e os cinco deputados estaduais, integrantes do colegiado.

- PUBLICIDADE -

A sessão obedecerá o roteiro já aprovado em 2020, prevendo inicio as 9 horas, tempo para as manifestações dos advogados autores da denúncia feita na Assembleia Legislativa, da defesa do governador do Estado, após o relatório da desembargadora Rosane Portela Wolf, do Tribunal de Justiça do Estado.

Participarão do julgamento os desembargadores Luiz Zanelato, Sônia Maria Schmitz, Rosane Portella Wolff, Luiz Antônio Fornerolli e Roberto Lucas Pacheco, pelo Judiciário; e os deputados Marcos Luiz Vieira (PSDB), José Miltom Schefer (PP), Valdir Cobalchini(MDB), Fabiano da Luz(PT) e Laércio Schuster(PSB).

A principal dúvida reside nos votos dos cinco desembargadores. Em relação aos votos dos cinco deputados, há cenários previsíveis em função do acordo politico no final de 2020.

Grande interrogação sobre o deputado Marcos Vieira, que será o primeiro a votar.  O progressista Zé Miltom é líder do governo e, portanto, voto certo contra o pedido; Cobalchini, o relator é líder do MDB,  que aderiu ao governo; Fabiano é do PT, partido que não tem interesse na cassação de Moisés, contra Bolsonaro e não deseja ver Daniela Reihner no governo; e Schuster já deu sinais de que pode votar contra.

Por isso, qualquer previsão é pura loteria.

O conteúdo completo você acompanha na edição impressa do Jornal Tribuna de Notícias ou no TN Digital. Leia esta e muitas outras colunas, ligue para o (48) 3478-2900 e assine!

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.