Um projeto para reforçar o potencial turístico e de educação da Barragem

Casan e Acafe trabalharão juntas pelo desenvolvimento em meio ao maior reservatório de água do Sul catarinense


- PUBLICIDADE -

Siderópolis

A Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis, será foco de um trabalho conjunto entre a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) e a Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe). A proposta é atuar em duas frentes: a educação ambiental, envolvendo as escolas da região, e o incentivo ao turismo, com abertura para visitação aos ns de semana.

- PUBLICIDADE -

O diretor de Relação Institucional e Governamental da Acafe, Adriano Rodrigues, explica que a ideia surgiu a partir de uma demanda dos sete municípios beneficiados pela represa: Siderópolis, Criciúma, Forquilhinha, Maracajá, Içara, Nova Veneza e Morro da Fumaça.

“Vamos trabalhar envolvendo as cidades e a Unesc, para reforçar a barragem como um ícone regional, demonstrando sua importância para o abastecimento da região pelo viés da educação ambiental e aproveitando seu potencial turístico”, coloca Rodrigues.

O projeto, que ainda está em fase de construção, será iniciado em um trabalho com alunos da região, que serão envolvidos em atividades sobre a barragem nas escolas. Também serão estruturadas equipes para receber visitantes.

“É muito importante as pessoas conhecerem a barragem e participarem de programas educativos para valorizar e preservar. Todos fazemos parte do meio ambiente e esse trabalho de educação também aproxima as pessoas do Sistema de Abastecimento da região”, destaca a presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos.

“A barragem já é um local muito procurado, porém precisamos estruturar melhor o atendimento aos diferentes públicos, contando a história dessa infraestrutura fundamental para o Sistema Integrado que garante água para mais de 400 mil moradores da região, e também valorizando o lindo cenário que ela criou”, complementa a engenheira sanitarista.

Para transformar o local em um ponto turístico e de educação, o projeto contará com a participação de professores da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), que acompanharão os visitantes. Desse modo, será possível oferecer mais segurança, informações adequadas sobre a infraestrutura local e o Sistema de Abastecimento, assim como desenvolver ações como exposições, para destacar a história e a cultura local.

Abastecimento e memória

Inaugurada em 2006, a Barragem do Rio São Bento foi construída para resolver problemas de abastecimento, especialmente dos municípios da Região Carbonífera. É o maior reservatório de água do Sul de Santa Catarina, com um lago artificial de 450 hectares – o equivalente a quase 500 campos de futebol.

A barragem tem ao fundo o cenário da Serra Geral, protegido pela Reserva Biológica Estadual do Aguaí. Um dos marcos é a torre da Capela de São Pedro, que foi mantida como memória do local onde a comunidade de mesmo nome se desenvolveu e construiu sua história até dar lugar ao reservatório.

Outro atrativo é a Torre de Monitoramento da Casan, construída às margens da barragem, com a finalidade de controle e segurança, além de proporcionar um ponto de observação privilegiado aos visitantes. Com uma estrutura metálica de 24,45 metros de altura, a torre possui escada helicoidal, placa de identificação e plataforma coberta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.