Recuperação da lagoa de Sombrio segue sem definição

Degradação ambiental na área prejudica acesso ao local, que é utilizado pelos pescadores. Projeto para resolver a situação tem alto custo e precisa de licenciamento

Foto: Divulgação/ Internet
- PUBLICIDADE -

Sombrio

A degradação ambiental na lagoa de Sombrio, que é a maior em extensão no Estado, avança a cada dia e gera alerta das entidades na região. Com 16 quilômetros de extensão e 368 metros de comprimento, a área precisa de atenção do Poder Público para não ser completamente devastada.

- PUBLICIDADE -

“A lagoa tem muita braquiária, que é uma praga das águas. A raiz dela se entrelaça e forma como se fosse um colchão na água. Esse é um dos problemas. Porque ela impede a entrada dos barcos e, dependendo da direção dos ventos, por ela ser flutuante, a água vai de um lado para o outro. A remoção dela da água é bem difícil”, explica a responsável pelo Departamento de Meio Ambiente de Sombrio, Greici Bristot.

Mas, este não é o único problema na lagoa de Sombrio. “Outro fator é o assoreamento. A área está muito assoreada, o rio desemboca ali. Então vem lama e está poluído, contaminado. Querendo ou não, prejudica e muito”, acrescenta o responsável. “Nós já tivemos algumas conversas com o Ministério Público e com o Instituto do Meio Ambiente, que é quem libera as licenças, porém, tem um custo muito alto. Sombrio é o “pai da criança” e, na verdade, a menor parte fica na cidade, a lagoa também é de Balneário Gaivota, São João do Sul, Santa Rosa do Sul e Passo de Torres, mas quem normalmente toma a frente é o município”, completa Greici.

Projeto está parado

Anos atrás, um orçamento foi realizado para execução do projeto de recuperação, mas não há estimativa de quanto ele possa custar atualmente. “Não temos ideia, porque o custo para executar também é alto. Exige uma movimentação financeira”, pontua Greici. “A princípio, o que está travando, é essa questão e as licenças ambientais, que são determinantes para colocar o projeto em andamento”, frisa a responsável pelo setor de Meio Ambiente.

Apesar da necessidade urgente de recuperação ambiental na lagoa, ainda não há previsão para o projeto ser colocado em prática. “Nós gostaríamos muito de executar o serviço, remover tudo que atrapalha, fazer as edificações no entorno, porque temos grandes projetos para serem desenvolvidos na área do turismo na lagoa, vai ser um atrativo, mas ainda temos alguns passos”, finaliza Greici.

Passarela está sendo estudada

Enquanto o projeto de recuperação não sai do papel, a equipe de engenharia da prefeitura estuda a viabilização de uma passarela no entorno da área, para atrair visitantes e incentivar a preservação. “Nós estamos elaborando o primeiro conceito do projeto para fazer a captação dos recursos e depois iniciar a parte de contratação da empresa e a implantação definitiva dessa ideia”, explica o gerente de engenharia e planejamento de Sombrio, Renato Bristot.

O projeto consiste em uma linha de passarela que contorna a margem do rio da Lage até o encontro das águas na lagoa de Sombrio. “Depois, se estende às margens do rio Caverá até encontrar a ciclovia que vai ser feita ligando o município de Balneário Gaivota”, acrescenta Bristot.

Serão 3,5 quilômetros de passarela e um quilômetro de pista de caminhada com ciclovia. “Em alguns pontos, como tem muitos pescadores nesse local, a ideia é fazer pequenos píeres para o pessoal poder ficar pescando e também vai ser feito dois ou três mirantes. Essa é a primeira versão que estamos estudando, para fazer a contemplação tanto da lagoa como do por do sol”, enfatiza o engenheiro.

A ação acontece em conjunto com a concessionária de água do município, administração municipal e o Instituto do Meio Ambiente (IMA). “Como é uma área de preservação ambiental, ao longo das margens, é uma questão de licenciamento junto ao IMA para fazer essa obra. Então estamos elaborando ainda, na fase inicial e concepção do projeto”, finaliza Bristot.

DADOS DA LAGOA DE SOMBRIO:

EXTENSÃO: 16 quilômetros

COMPRIMENTO: 368 metros

LARGURA: 5 quilômetros

ÁREA TOTAL: 54 km2

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.