Recém-sinalizada, Tranquilo Sartor apresenta deformidades no asfalto

Prefeito de Morro da Fumaça afirma que trecho deteriorado foi problema de execução e não da passagem de caminhões pesados

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Morro da Fumaça

Há tempos a situação é a mesma na Rodovia Tranquilo Sartor: asfalto com deformidades e crateras ao longo da estrada que liga o centro de Morro da Fumaça à comunidade de Linha Torrens. O problema vem sendo reparado pela construtora Confer – responsável pelas obras de revitalização do trecho, que foi recém-sinalizado e está próximo de ser inaugurado, com 96% da execução concluída. Desta vez, em frente ao CTG Herança do Pai (apenas referência), um enorme buraco faz com que os condutores tenham atenção redobrada ao trafegarem pela via.

- PUBLICIDADE -

Ali, naquela região, a passagem de caminhões pesados e a má condição do solo foram fatores preponderantes para que a situação se acentuasse. “Provavelmente o que aconteceu é que a parte do subleito da estrada não é de boa qualidade. Mas a obra não está concluída, a pavimentação sim, mas a obra não. O problema não está no asfalto. Teríamos que remover o asfalto, remover a base, remover a sub-base, remover o subleito que tem problema e colocar material que atenda e seja de qualidade”, explica o engenheiro civil da Confer, Hemerson Beckhauser.

Ainda conforme o profissional, a chuva das últimas semanas fez com que o serviço fosse paralisado, mas a expectativa é que seja retomado nos próximos dias. “Isso vai ser feito, temos que aguardar melhorar o tempo. Já foi iniciado, nós identificamos o problema, iniciamos os recortes para fazer esses locais pontuais, só que começou a chover”, enfatiza. Além dos buracos, algumas caixas de boca de lobo estão completamente destruídas ao longo da rodovia. “As caixas de boca de lobo que foram executadas pela empresa, foram todas revisadas e arrumadas, só se quebraram alguma que teríamos que arrumar novamente”, completa.

Obra tem garantia

O prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral, alega que a obra tem garantia de cinco anos, por isso, a empresa Confer foi comunicada sobre o trecho que acabou sendo deteriorado nas últimas semanas. “Houve um problema, foi notificado, a empresa veio ali, fez o trabalho de recuperação do solo e agora está aguardando compactar bem para passar a nova camada de asfalto”, comenta.

Nova rota está sendo estudada

Proibir o tráfego de caminhões pesados na Rodovia Tranquilo Sartor seria fundamental para evitar que o asfalto se deteriorasse mais rápido. Mas, a única opção estudada seria uma rota alternativa para os veículos de grande porte. “Nós estamos alargando uma estrada alternativa, só que ainda não ficou pronta. A gente pretende desviar os caminhões do centro por essa rota”, explica o prefeito. Apesar disso, Coral avalia que o problema em questão, em frente ao CTG, não foi causado pelo excesso de caminhões. “Nessa parte foi problema de execução mesmo, e não a passagem dos veículos. Mas o restante da rodovia, a primeira parte, foi excesso de peso”, acrescenta.

A intenção, inclusive, é inibir toda a passagem de caminhões de grande porte no trecho que liga o centro à rodovia, para futuramente, iniciar a recuperação do início da Tranquilo Sartor –  pedaço que foi asfaltado há anos e que apresenta atualmente diversas deformidades. “Assim que tivermos esse novo acesso pronto, vamos iniciar a revitalização da Rua Urussanga, no início da rodovia, principalmente o lado que passa os veículos pesados”, afirma o prefeito.

No dia 1º de setembro, um Decreto Municipal foi assinado com o intuito de inibir a passagem, parada, estacionamento e circulação de veículos com peso bruto total (PBT) acima de 35 toneladas e de veículos bitrem, em toda a extensão da Rodovia Tranquilo Sartor, porém, na prática, isso não ocorre. “O tráfego de caminhões pesados é um problema sério do município porque tem muitos loteamentos, muitos veículos, é um problema muito grave. Mas proibir todos de trafegarem é complicado, permitir que todos trafeguem acaba danificando todas as ruas praticamente, é um estudo que tem que ser feito e alguém, um dia, vai ter que arrumar essa briga e encarar”, finaliza Coral.

Revitalização importante para a comunidade

Zélia Bortolon Guollo mora às margens da Rodovia Tranquilo Sartor desde que nasceu, há 78 anos. A fumacense relata que a obra foi muito importante para a localidade, porém, vem apresentando problemas. “A rodovia tinha ficado muito bonita, nossa, maravilhosa. O que eles precisam é trancar um pouco esses caminhões grandes, esses bitrens, porque não tem estrada e asfalto que aguente. Passam 20, 30, 40 caminhões todo dia, todo dia. Acaba com tudo, não tem nada que aguente”, afirma a moradora.

Zélia afirma que o tempo instável dos últimos dias acabou piorando a situação. “Com a chuva piorou mais, eles vieram arrumar, porque não adianta, arruma e chove, arruma e chove. Eles se esforçam (funcionários da Confer), mas não adianta, tadinhos. Agora eles vão arrumar de novo, colocar mais uma camada. Eles trouxeram as máquinas e os materiais já”, acrescenta a fumacense.

Pagamento já iniciou

A revitalização da Rodovia Tranquilo Sartor foi realizada através de um investimento do Programa Avançar Cidades, no valor de R$ 4,1 milhões.  A obra, além de contemplar a localidade com a pavimentação asfáltica, ainda teve toda a parte de drenagem reformada e ampliada, calçadas em toda a sua extensão e sinalização vertical e horizontal. Coral afirma que o pagamento do financiamento foi iniciado no ano passado e deve ser quitado em 20 anos. “Faltam só alguns detalhes para entregar a obra, pouca coisa. Está mais de 95, 96% pronto”, finaliza o prefeito.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.