Projeto visa a preservação das edificações históricas de Urussanga

Contemplada com o prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, iniciativa irá conter diretrizes e regramentos necessários para promover a proteção das estruturas

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Urussanga

Manter a preservação dos patrimônios edificados e a paisagem no entorno da Praça Anita Garibaldi, em Urussanga, são os principais objetivos do projeto contemplado com o prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura. Elaborado pela arquiteta criciumense Virginia Gomes de Luca, o produto final, que deve ser concluído até dezembro, irá conter uma série de diretrizes e regramentos necessários para promover a proteção dessas estruturas em uma área pré-delimitada.

- PUBLICIDADE -

O projeto, intitulado como a “elaboração das diretrizes de preservação para o patrimônio edificado e a paisagem da Praça Anita Garibaldi, em Urussanga”, recebeu uma quantia em dinheiro para colocar em prática a iniciativa. O objetivo é gerar o conhecimento do sítio urbano e dos bens tombados a fim de nortear a definição de proteção e elaboração de uma minuta normativa de preservação, que delimita algumas regras específicas para a preservação do patrimônio edificado, facilitando assim, a gestão das esferas municipal e estadual.

De acordo com a doutora em Arquitetura e Urbanismo, coordenadora e proponente do projeto, Virginia Gomes de Luca, foi necessária uma série de estudos técnicos tanto na escala urbana quanto dos patrimônios edificados para elaborar o estudo em cima do objetivo. “Meu interesse pelo patrimônio cultural edificado e pela imigração italiana sempre me mantiveram próxima a Urussanga em toda a minha trajetória acadêmica. Minha principal motivação em propor este estudo é o reconhecimento de que todo este patrimônio ao redor da Praça Anita Garibaldi pode ser vetor de desenvolvimento para o município, que o passado e o futuro podem e devem conviver juntos”, enfatiza.

A proposta visa fornecer subsídios direcionados primeiramente à Diretoria de Patrimônio da Fundação Catarinense de Cultura, responsável pelos tombamentos individuais no entorno da Praça Anita Garibaldi, para tornar sua gestão eficaz, transparente e em acordo com as políticas de preservação definidas pela instituição. Atualmente, o conjunto de edificações históricas no entorno da região é considerado o mais representativo da arquitetura urbana da imigração italiana em Santa Catarina e é protegido pela Fundação Catarinense de Cultura desde 2001.

“É muito simbólico que, 20 anos após a homologação dos tombamentos estaduais dos 18 imóveis no entorno da Praça Anita Garibaldi, uma proposta para valorizar todo esse patrimônio urbano e arquitetônico tenha sido contemplada no principal prêmio da área do patrimônio cultural do Estado de Santa Catarina”, acrescenta a arquiteta.

O projeto tem continuidade durante todo o ano e a previsão de entrega do produto final é para dezembro. “Temos uma série de estudos e produtos para serem entregues, uma série de análises tanto da parte urbana como arquitetônica. Esse projeto foi contemplado no fim do ano passado e vai até o fim desse. Estamos ainda no início, mas temos várias reuniões programadas com a prefeitura e com a Diretoria de Patrimônio da Fundação Catarinense de Cultura”, finaliza Virginia.

Referência identitária ao município

A iniciativa ainda pretende contemplar os detentores dos imóveis protegidos, assegurando direitos e aclarando deveres e, sobretudo, os moradores do município, para que possam reconhecer-se e guardar esse conjunto como referência identitária e motivo de autoestima.

“Esse importante projeto será um importante instrumento de defesa de nossa identidade cultural patrimonial, no sentido que impedirá os usuais excessos no descaso desses, promovidos pela especulação imobiliária, que atende as demandas do capital em consequência dos naturais pressões do crescimento demográfico. Servirá, também, como documento provedor de subsídios legais e fundamentais para a salvaguarda desse patrimônio tombado, auxiliando decisivamente no seu monitoramento, em especial modo a nível municipal”, comenta o diretor de Cultura de Urussanga, Névton Bortolotto.

O prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, pontua que o município está completando no mês que vem 143 anos de colonização, sendo referência regional na preservação das edificações e da cultura italiana. “Este projeto ratifica que temos que continuar a preservar as novas edificações, e assim elevarmos ainda mais nossa cidade como patrimônio arquitetônico no Estado”, finaliza Cancellier.

A equipe é composta, além da idealizadora do projeto, Virginia Gomes de Luca, pelos arquitetos João Paulo Schwerz e Aline Figueiredo e as estagiárias Amanda Gonçalves da Silva e Maria Fernanda Carvalho Laureano.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.