Pressão popular traz efeitos para a Barra do Camacho

Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade deve anunciar convênio para ampliação do canal dentro dos próximos dias

Foto: Grupo Todos pela Barra/ Divulgação
- PUBLICIDADE -

Jaguaruna

O protesto organizado pelos moradores, pescadores e turistas da Barra do Camacho, em Jaguaruna, já obteve resultado. Dezenas de pessoas se reuniram no último sábado, 15, com pás e carrinhos de mão, prometendo o início do desassoreamento. Um dia antes do ato, a prefeitura deslocou máquinas para retirar a areia do canal e, ainda, a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade anunciou formalmente que recebeu o projeto e que o convênio deve ser anunciado em breve.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Augusto Vieira, o pleito já era um compromisso do governador Carlos Moisés. “Agora estamos analisando os últimos detalhes técnicos e de orçamento para formalizar a celebração do convênio, que deve ser anunciado nos próximos dias”, explica. O estudo foi encomendado pela Amurel e será executado com recursos do Executivo Estadual, que repassará R$ 9,8 milhões ao município. Caberá ao governo fiscalizar a aplicação dos investimentos. A obra deve garantir a contenção de dunas e estabilizar o fluxo do canal, evitando o assoreamento.

Um dos organizadores do protesto, Thiago Alves König, comenta que algumas máquinas da administração municipal já trabalham na localidade, mas ainda não é uma medida permanente para o problema. “Nos reunimos e em uma semana organizamos via WhatsApp para fazer no sábado essa manifestação. Só que quando começamos essa mobilização, de uma hora para outra, a prefeitura falou que no outro dia teria máquinas lá. Parte do manifesto já surtiu efeito, a prefeitura já começou a abrir, na sexta-feira”, comenta.

Medida paliativa

Os moradores pedem, na verdade, para que o canal, que liga o mar à Lagoa de Jaguaruna, seja maior. “A Barra do Camacho já faz tempo que abre e fecha direto, tem toda a mobilização popular, vêm recursos, mas não fazem o tem que ser feito, aí fecha de novo. Tem que ser uma barra maior, fazer uma ampliação. Tirar areia agora é só paliativo, temporário. É só questão de tempo até fechar novamente”, acrescenta Alves.

Embora a ampliação ainda não tenha sido anunciada oficialmente, a retirada de areia já contenta os moradores. “Nosso objetivo até foi cumprido, na verdade, um deles. A pressão popular fez com que a prefeitura abrisse o canal de uma vez, para trocar a água, entrar e sair os peixes e, até que o governo não libere o recurso para a ampliação, é uma solução temporária”, finaliza Alves.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.