Ômicron não muda planos dos balneários da região para a virada de ano

Diversas capitais nacionais já anunciaram o cancelamento das festas de réveillon e carnaval, depois que a nova variante descoberta na África do Sul aumentou a preocupação


- PUBLICIDADE -

Balneário Rincão/Balneário Arroio do Silva

A aparição de uma nova variante do coronavírus já fez diversas capitais brasileiras cancelarem as festas programadas para o fim de ano. Por ora, os balneários da região ainda não cogitam essa hipótese. A cepa Ômicron, descoberta na África do Sul, ainda não penetrou no Brasil, mas já aparece como uma ameaça de quarta onda. Florianópolis, Salvador, Recife, João Pessoa, Aracaju, Brasília e Belém foram algumas das cidades que optaram por não mais realizar as programações planejadas.

- PUBLICIDADE -

A retomada do setor de eventos trouxe uma enorme expectativa para o próximo verão. Depois de um período de insegurança, as cidades que tiveram avanço significativo na vacinação e apresentaram melhorias nos dados referentes à pandemia. Com isso, flexibilizações e restrições menos severas permitiram que os grandes eventos retornassem à tona.

Em Balneário Rincão, a prefeitura segue com o propósito de agitar o município com grandes shows nacionais nesta temporada no mês de janeiro. Após um verão sem eventos, a projeção de agora é ‘recuperar o atraso’.

“A princípio, está tudo mantido. A gente só está repensando o carnaval. Já fechamos um show nacional de grande porte, só não podemos divulgar ainda por não estar no diário oficial. Teremos também um show gospel forte e estamos organizando um show esportivo bem forte. Fora os outros eventos menores, na beira da praia, e os particulares”, compreende Antônio Ricardo Venturini Junior, o Juninho Venturini, secretário de Turismo, Cultura e Esporte.

Juninho foi nomeado para a pasta há uma semana. A vontade dele é trazer entretenimento de qualidade aos milhares de veranistas. “Eu assumi a secretaria crente de que tudo isso iria acontecer. Se for cancelado, ficarei bem decepcionado. Mas, vamos respeitar todas as regras do governo do Estado”, garante. O município, por enquanto, não pensa em exigir o comprovante de vacinação para o público participar dos eventos. “A gente não está trabalhando com a possibilidade de exigirmos um passaporte vacinal, mas sabemos que não há como fugir disso se a nossa realidade mudar”, pontua.

“A festa da virada de ano vai ser algo mais regional, porque estamos vendo que réveillon e carnaval são as primeiras datas que serão canceladas se vier essa nova variante. O nosso carnaval já está sendo programado, mas ainda bem longe de ter algo definido”, arremata o secretário.

Amesc na mesma tomada

Os prefeitos da área litorânea da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense  (Amesc) analisaram em conjunto a programação de verão nos balneários. Estiveram reunidos na sede da associação na manhã de ontem César Cesa, prefeito de Araranguá, Evandro Scaini, prefeito de Balneário Arroio do Silva,  Everaldo dos Santos, prefeito de Balneário Gaivota e o prefeito de Passo de Torres, Valmir Rodrigues.

Os gestores municipais definiram em conjunto manter os eventos de réveillon em cada um dos destinos e realizar ao longo da temporada eventos de pequeno e médio porte. Os de grande porte serão evitados. Caso haja mudanças nas portarias impostas pelo governo do Estado, as adequações necessárias na programação serão divulgadas posteriormente.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.