Obras na SC-442 são retomadas após anos de espera

Trecho entre Cocal do Sul e Morro da Fumaça será pavimentado pela empresa Setep e deve ser concluído em até doze meses. Valor do investimento é de R$ 8,4 milhões

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN

- PUBLICIDADE -

Morro da Fumaça/ Cocal do Sul

Após anos de espera, impasses e adaptações no projeto original, as obras da SC-442, entre Cocal do Sul e Estação Cocal, Distrito de Morro da Fumaça, foram retomadas nessa segunda-feira. As máquinas na pista já indicam o retorno dos trabalhos, que devem ser efetuados em trechos pré-estabelecidos nos dois municípios, aproximadamente quatro quilômetros, no total. A movimentação trouxe alívio para as duas comunidades, que há tempos aguardam o término da pavimentação.

- PUBLICIDADE -

No trecho que compreende ao Distrito de Morro da Fumaça, serão implantados 3,2 quilômetros de asfalto. “O término desta pavimentação irá contribuir ainda mais com o crescimento de nossa cidade e favorecer, principalmente, os moradores de Estação Cocal, que sofrem com o intenso movimento de veículos. A retomada da obra é o resultado de uma união de esforços ao longo dos últimos anos”, comemora o prefeito de Morro da Fumaça, Noi Coral.

A conclusão da obra também deve alavancar o desenvolvimento econômico da região. “É muito importante porque coincidiu que a nossa primeira e talvez a segunda área industrial ficasse próximo da SC-442, que liga à rodovia Genézio Mazon. Sem contar, todo o escoamento de uma empresa muito importante para o Sul, que é a Eliane Revestimentos. Então, é muito importante a conclusão dessa obra. Esperamos que seja finalizada o mais rápido possível para que todos saiam ganhando”, enfatiza Cocal.

Em Cocal do Sul, são 726 metros restantes que receberão a pavimentação. O trecho fica em frente à Eliane Revestimentos, que registra um tráfego intenso de veículos pesados todos os dias e possui, atualmente, paralelepípedos na extensão. Na área, há dificuldade até mesmo do trânsito de pedestres, bicicletas, carros e motos devido à má situação da via.

“É um sonho que vai se concretizar e contribuir muito com o Sul do Estado. Será um desenvolvimento não só para a cidade, mas toda a nossa região. Cocal do Sul tem um problema seríssimo com mobilidade urbana e o término desta rodovia impacta diretamente no município, principalmente na escoação dos nossos produtos e também dos que chegam. Sem sombra de dúvidas nós teremos uma cidade diferente antes e após a conclusão da SC-442”, comemora o prefeito de Cocal do Sul, Fernando de Fáveri.

Problemas enfrentados

Um dos principais problemas que comunidade enfrentou ao longo dos anos de paralisação é referente à Rua João de Rochi, uma extensão da SC-442, no trecho de Estação Cocal. Com as obras inacabadas, a movimentação dos veículos dentro deste trecho aumentou expressivamente e trouxe danos à população, como o caso de um bitrem que ficou encalhado na esquina entre duas ruas de Estação Cocal.

Os danos foram tantos, desde materiais à perturbação de sossego devido ao barulho do trânsito, que houve uma restrição por parte da administração municipal de Morro da Fumaça para coibir a passagem de veículos pesados na localidade de Estação Cocal. Por um lado, a população insatisfeita, por outro, os empresários da região. Por isso, no projeto, há um desvio que contorna o Distrito.

“Vai facilitar muito. Tem muitos veículos que trafegam por aqui. Eles saem lá de Cocal do Sul e passam nessa localidade. Nós estávamos esperando há muito tempo, depois que parou há quase cinco anos. A comunidade está contente. Estava na hora deles retomarem, o pessoal tinha que dar toda uma volta porque a estrada era muito ruim, agora vai melhorar muito e evitar tanto trânsito”, comenta o morador Agenor Carrer, que há mais de uma década vive na em Estação Cocal.

Vanderlei Costa, morador da mesma área, reforça que a conclusão da obra já era esperada pela comunidade há muitos anos. “Depois de paralisarem, agora, vai sair do papel. O movimento vai dobrar bastante, mas quando ficar pronta vai contribuir com a mobilidade do município. São só três quilômetros, é pouca coisa. Enrolaram demais. Para a Eliane, vai ser uma boa e para os motoristas em geral também. Além disso, vai valorizar também os terrenos no entorno”, enfatiza.

Desde pequeno, José Itamar Sorato, hoje com 71 anos, vive às margens da SC-442 e afirma que a pavimentação deve facilitar o trânsito da localidade. “Outra dificuldade também era a poeira nesse trecho, mas agora, graças a Deus, a situação está sendo resolvida. Depois que saiu o asfalto para Cocal do Sul quase dobrou o fluxo. Durante a semana, é bem intenso nessa extensão. Mas, com o asfalto, deve melhorar bastante o tráfego”, afirma.

Doze meses para conclusão

A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade informa que a obra está sendo executada, como previsto no edital de licitação RDCI (projeto com obra) e em projeto já aprovado pela pasta. O período de execução previsto é de doze meses com valor de investimento de R$ 8,4 milhões.

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.