Nacional: fim de ano deve movimentar 6,7 mi de viajantes nos aeroportos

Número é 55% superior ao registrado no período em 2020, quando 4,3 milhões de passageiros voaram pelo Brasil

Foto: Divulgação/Ministério do Turismo/ Victor Maciel/MTur

- PUBLICIDADE -

Os aeroportos do país devem movimentar milhões de passageiros durante as semanas do Natal e do Réveillon. De acordo com estimativa do Ministério do Turismo, cerca de 6,7 milhões de pessoas devem voar pelo país no período. O número é aproximadamente 55% maior do que o registrado em 2020, quando o número chegou a 4,3 milhões. Entre os terminais com maior circulação estão o de Congonhas, com 844,6 mil passageiros, e o de Viracopos, com 634 mil, ambos localizados no estado de São Paulo.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, os números se devem ao esforço do governo federal em vacinar a população contra a Covid-19 e garantir segurança sanitária nos destinos nacionais. “Estamos chegando a índices pré-pandemia, e isso é muito bom para o nosso setor. Para que pudéssemos chegar a isto, nós trabalhamos muito para garantir que estes turistas se sentissem seguros ao trafegar pelo país, e está dando certo. Vamos terminar 2021 como o ano da retomada do turismo no Brasil”, disse.

Na região Nordeste, Recife figura entre os destinos com maior movimentação de passageiros. A capital pernambucana deve receber mais de 406 mil pessoas no período. No Centro-Oeste, o Aeroporto de Brasília espera um tráfego mais intenso de 27 a 30 de dezembro, com uma média de 44 mil passageiros por dia. No Norte, a capital amazonense, Manaus, espera receber cerca de 172,1 mil pessoas. Já no Sudeste, Guarulhos (SP) estima alta de 8% em comparação ao fim de novembro e o início de dezembro.

Para garantir melhores experiências aos turistas, os ministérios do Turismo e da Justiça e Segurança Pública lançaram, na última terça-feira, 21, duas novas edições da publicação “Consumidor Turista”, com dicas e orientações para aprimorar as relações de consumo no setor. Assim como na primeira edição, divulgada em setembro, o foco continua sendo o transporte aéreo. Desta vez, porém, a abordagem é a jornada que o turista percorre durante a viagem e, também, o momento logo após o desembarque no destino escolhido.

RODOVIÁRIAS – Além dos aeroportos, as rodoviárias do país devem receber milhares de viajantes no período. Em Belo Horizonte (MG), a estimativa é de que 409 mil passageiros embarquem e desembarquem em ônibus rumo a outras cidades mineiras e a destinos como Rio de Janeiro (RJ), Cabo Frio (RJ) e Porto Seguro (BA). Em Brasília (DF), 81,8 mil pessoas devem passar pelo terminal rodoviário com destino a Goiânia (GO), Cuiabá (MT), São Paulo (SP) e Campo Grande (MS). Em Campinas (SP), são esperados mais de 121 mil turistas, e os destinos mais buscados são cidades do litoral e do interior paulista, Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF).

No Nordeste, as rodoviárias de Teresina (PI) e de João Pessoa (PB) esperam um aumento de 70% e 30%, respectivamente, no fluxo de passageiros durante o fim de ano. Já Natal (RN) estima que passem mais de 55 mil pessoas pelo local.

SELO TURISMO RESPONSÁVEL – O Ministério do Turismo recomenda uma série de medidas para uma viagem segura. Uma delas é observar se estabelecimentos do setor possuem o Selo Turismo Responsável, que indica boas práticas de biossegurança para 15 atividades do ramo. A iniciativa define protocolos específicos de prevenção à Covid-19 e busca auxiliar na retomada segura de atividades tanto para turistas quanto para trabalhadores. O selo está disponível para meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, centros de convenções, feiras, exposições e guias de turismo, entre outros, e pode ser obtido de maneira rápida e gratuita pelo site do programa. (Acesse aqui)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.