Municípios de Santa Catarina ainda sofrem com falta de vacinas

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios apontou que a falta da segunda dose da Butantan/Coronavac foi o principal problema informado em SC

Foto: Mauricio Vieira/Secom
- PUBLICIDADE -

Uma pesquisa da CNM (Confederação Nacional de Municípios) apontou que 8,5% dos municípios de Santa Catarina relataram a falta de vacina para imunizar a população contra a Covid-19 nesta semana.

No país, mais de mil municípios relataram a mesma situação. Participaram do levantamento, realizado entre os dias 17 e 20 de maio, 3.287 municípios brasileiros.

- PUBLICIDADE -

Dentre os 23 municípios catarinenses que declararam enfrentar esse problema, a falta de vacinas para a primeira dose atingiu 69,6%. Já 52,2% dos municípios não conseguiram aplicar a segunda dose no grupo prioritário.

Segundo a pesquisa, a falta da segunda dose da Butantan/Coronavac foi informada por 68,8% dos municípios de SC e da Fiocruz/Astrazeneca faltou em 31,3%. O estudo mostra, ainda, que 8,9% dos municípios catarinenses responderam que havia risco iminente do hospital da região ficar sem medicamentos do kit intubação.

Sobre a vacinação com o imunizante da Pfizer, a CNM questionou os municípios de SC se eles possuem câmaras frias próprias e ou de terceiros para armazenar as vacinas.

Em 48,5% dos municípios há meio correto para o armazenamento, enquanto 44,1% declararam que não possuem estes equipamentos.

Nesta semana, as recomendações de armazenamento da vacina Pfizer/Biontech foram modificadas pela agência norte-americana FDA (Foods and Drugs Agency). Com a alteração, as doses podem ser mantidas na própria geladeira, à temperatura de 2 a 8 Celsius, pelo período de um mês.

Gestantes e puérperas

A pesquisa também aponta que 81,1% dos municípios pesquisados no Estado já iniciaram a vacinação de grávidas e puérperas. No entanto, em decorrência da recomendação da Anvisa e do Ministério da Saúde, 18,9% dos municípios afirmaram que interromperam a vacinação desse público.

Medidas restritivas

Quase 50% dos municípios pesquisados em SC ainda estão adotando medidas restritivas, como fechamento de serviços não essenciais e outras ações. Em 43%, não houve esse tipo de medida nesta semana.

Vacinação em SC

Santa Catarina ampliou o grupo de comorbidades que podem receber a vacina contra a Covid-19. A atualização foi feita com base na orientação do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação e já foi repassada pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) aos municípios catarinenses.

Agora, pessoas com doenças neurológicas crônicas que impactem na função respiratória, doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular e indivíduos com deficiência neurológica grave, paralisia cerebral, esclerose múltipla ou condições similares, fazem parte do público-alvo.

A nota técnica também orienta os municípios a ampliarem a cobertura vacinal, com o aumento dos pontos de imunização e a realização de um mutirão da vacinação entre 22 e 30 de maio. O Estado sugere ainda que seja realizada a busca ativa das pessoas cadastradas nos programas de atenção às doenças crônicas, a fim de incentivá-las para que façam a vacinação.

O documento salienta, ainda, que a vacinação de gestantes e puérperas, sem comorbidades, também segue suspensa e que grávidas com comorbidades só devem ser imunizadas com doses da Pfizer e Sinovac/Butantan.

Via ND+

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.