Moradores reclamam de rua em situação de abandono em Criciúma

Via no bairro Operária Nova precisa de redutores de velocidade e faixas de pedestres. Inúmeros acidentes já foram registrados no trecho, que fica em frente ao Hospital Materno-Infantil

Foto: Geórgia Gava/ TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Melhor sinalização, redutores de velocidade e faixas de pedestres. Essas são as principais necessidades elencadas pelos moradores da Rua Wenceslau Braz, no bairro Operária Nova, em Criciúma. A via, que possui um trecho em frente ao Hospital Materno-Infantil Santa Catarina, já registrou inúmeros acidentes envolvendo residentes da localidade, condutores e motociclistas, desses, dois, pelo menos, tiveram óbitos, um, inclusive, envolvendo uma criança de sete anos.

- PUBLICIDADE -

“Estamos praticamente abandonados”, diz um morador do bairro, que reside há seis décadas na rua e prefere não ser identificado. “Falta uma manutenção geral, faixa de pedestres e redutores de velocidade. Pedimos uma lombada pelo menos para ver se diminuía, vários carros já bateram nos muros aqui das residências, o pessoal passa a 80km/h, 90km/h, mas, até agora, nada foi resolvido”, acrescenta.

O morador acredita que passam cerca de dois mil veículos, por dia, na Rua Wenceslau Braz. A grande maioria, em alta velocidade. “Os responsáveis alegam que não pode fazer lombadas por causa do hospital, mas se fosse por isso, o hospital São José não tinha nenhuma. Tem um poste que está há quatro meses sem iluminação, eu pedi, e está aí, sem retorno. Essa rua era para ser boa, mas não, é um perigo constante”, enfatiza.

A situação também é presenciada por Maria Helena Lopes, que reside na localidade há mais de 50 anos. “Eles [motoristas] passam em uma corrida, o dia inteiro. Já foi pedido [lombada], mas eles nem ligam, nem adianta. Quebraram tudo o muro da vizinha um dia, vieram correndo e, na curva, é uma tristeza, os veículos passam, parece que está estremecendo a casa, que vai cair”, lamenta a moradora. “O prefeito deveria fazer uma lombada bem boa aqui, ainda mais com o hospital”, completa.

De acordo com o diretor-geral do Hospital Materno-Infantil Santa Catarina (Hmisc), Cesár Augusto de Magalhães, a situação coloca em risco a população que vive na localidade, bem como quem se dirige à unidade hospitalar. “Como é uma descida, a velocidade que os veículos descem é muito alta e quando sobem também, então muitas vezes já aconteceu dos pacientes ou funcionários e médicos estarem entrando na unidade e acontecerem acidentes. A gente queria algo como uma lombada eletrônica ou um trevo alemão, para que as pessoas que tenham acesso ao hospital não fiquem em perigo”, comenta.

Necessidades foram levadas à Casa Legislativa

A melhoria na sinalização de trânsito em frente ao Hospital Materno-Infantil Santa Catarina foi levada à Câmara de Vereadores de Criciúma pelo vereador Paulo Ferrarezi (MDB). Através de um requerimento, também foi pleiteado redutores de velocidade nos acessos ao hospital a fim de contribuir com a segurança da localidade.

“A Rua Wenceslau Braz é um local muito perigoso, então foi solicitado pelos diretores do hospital a sinalização para diminuir a velocidade dos veículos, eles sugerem uma lombada eletrônica, mas eu solicitei à DTT, órgão que regula o trânsito do nosso município, que faça um estudo para ver o que é necessário, o que se torna melhor para facilitar os acessos e as saídas do hospital”, pontua o vereador.

DTT analisa a localidade

De acordo com o coordenador do Departamento de Trânsito e Transportes (DTT) de Criciúma, Gustavo Medeiros, equipes do órgão já estão empenhadas para realizar um estudo sobre a Rua Wenceslau Braz em busca de uma resolução. “Ali é um hospital, ainda mais um hospital infantil, dentro disso, nós estamos fazendo um levantamento de dados, indo a campo e vendo o que é melhor ali naquela localidade, ainda não temos um estudo, mas ele fica pronto logo logo. Está em fase de análise”, explica.

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.