Forquilhinha pretende utilizar o Ambulatório de Fibromialgia da Unesc

Representantes do município estiveram na universidade em busca de mais informações no atendimento das pessoas diagnosticadas com a síndrome

Foto: Divulgação/ Filipe Casagrande

- PUBLICIDADE -

O município de Forquilhinha busca ampliar e melhorar o atendimento das pessoas que sofrem com a fibromialgia. Representantes da Secretaria de Saúde e do Legislativo estiveram na Unesc verificando o fluxo de encaminhamento e o funcionamento do Ambulatório de Atenção à Saúde da Pessoa com Fibromialgia.

O espaço é utilizado para atender as pessoas diagnosticadas com a síndrome de fibromialgia em situação grave, por meio do encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS). “Vamos levar ao conhecimento do prefeito a disponibilidade desse atendimento especializado, que está credenciado no Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS) da Amrec”, conta o secretário de Saúde, Diego Melo.

- PUBLICIDADE -

Em Forquilhinha, as pessoas diagnosticadas com fibromialgia já possuem atendimento preferencial por meio da lei municipal nº 2422/19, que assegura os mesmos direitos dos idosos, gestantes e pessoas com deficiência. “O nosso foco é proporcionar mais qualidade de vida a essas pessoas que sentem dores constantes, em diferentes níveis de intensidade, sem a possibilidade de cura”, declara o presidente da Câmara de Vereadores, Célio Elias (PT).

A reunião na Unesc contou, ainda, com a participação da pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Dra. Gisele Silveira Coelho Lopes, a coordenadora das Clínicas Integradas, Mágada Tessmann, o coordenador da Regulação e Controladoria da Saúde de Forquilhinha, Leandro Maffei, e o diretor da Câmara de Vereadores, Robson Tomazzi.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.