Fogos de artifício: o que fazer para deixar o pet calmo durante a virada

Médico veterinário Arthur Petroli dá algumas dicas de como minimizar o incômodo causado pela explosão de fogos de artifício


- PUBLICIDADE -

Thais Borges/Especial
Portal TN Sul

- PUBLICIDADE -

Um novo ano está chegando e, na transição do dia 31 de dezembro para o dia 1° de janeiro, as pessoas costumam comemorar de diferentes formas. Uma delas é a explosão de fogos de artifício, que podem incomodar muita gente, inclusive, os pets de estimação. O momento pode ser inevitável, mas existem algumas dicas para aliviar a tensão que a situação proporciona aos bichinhos.

O médico veterinário Arthur Petroli afirma que os barulhos podem atormentar os pets por conta da maior sensibilidade dos ouvidos deles.”Isso acaba despertando um certo medo para os tutores, porque causa uma ansiedade, um pânico para os animais”. Petroli dá algumas dicas de como minimizar isso. “Manter o animalzinho em um ambiente seguro, calmo e tranquilo: um quarto, por exemplo, onde as janelas sempre estejam fechadas para diminuir os ruídos externos”, explica, ainda destacando que é ideal e aconselhável deixar uma música ambiente.

Outra estratégia é distrair os pets no momento dos barulhos. “A recomendação é sempre tirar o foco do que causou esse medo e nunca potencializar”, conta. Petroli também observa que, para entretê-los, pode se fazer brincadeiras.

Vitor Valentim, presidente e diretor da entidade içarense ONG Amigo Bicho, tem 21 anos, e é dono de dois cachorros e dois gatos. Ele tem um jeito próprio para ajudar os pets. “Um cuidado que eu tenho na minha casa é de colocar a televisão ou uma música com o som bem alto. O animal já está acostumado porque toda casa tem esse barulho. Então, se o volume da televisão ou som ficar um pouco mais alto, isso não incomoda tanto eles e ainda disfarça o barulho de fora. Isso eu já fiz na minha casa e deu super certo”, sugere.

Método diferente

Há outra técnica, como o contra condicionamento, que pode ser aplicado antes dos momentos festivos. Esse método consiste na replicação do som que incomoda o animal, mas em uma altura mais baixa. Conforme o tempo passa e o animal se acostuma com o ruído, a altura pode ir aumentando. “Isso acaba dessensibilizando aquele medo que ele tem. Aí vai aumentando gradativamente, fazendo atividades lúdicas, sempre tirando o foco”, revela Arthur.

 

Medicação

De acordo com o médico veterinário, também é possível medicar os pets. “Dependendo do grau de ansiedade e medo que esse animalzinho tem, aí é aconselhado conversar com um veterinário para utilizar ansiolíticos diante desses momentos”, conclui.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.