Fiéis celebram o Dia de Nossa Senhora de Caravaggio

Festejos à padroeira do Distrito de Nova Veneza seguem até o próximo domingo

Foto: Lucas Colombo/ Arquivo
- PUBLICIDADE -

Nova Veneza

Tradicionalmente, o mês de maio é dedicado especialmente a Nossa Senhora do Caravaggio. Desde o ano passado, devido à pandemia, as homenagens à padroeira do Distrito de Nova Veneza são celebradas seguindo todos os protocolos de combate à proliferação do coronavírus. As comemorações iniciaram no dia 21 e seguem até o próximo domingo, com os últimos festejos.

- PUBLICIDADE -

“Amanhã [hoje] vamos ter bem cedinho a alvorada aqui no Caravaggio, depois, teremos três missas, às 9h, às 15h e às 19h30, com transmissão através da TV Evangelizar. Durante o dia, teremos o atendimento aos peregrinos com a tenda do café – é a única atividade que será feita de forma aberta, para não manter concentrações e ficar seguro para todas as pessoas”, explica o reitor do Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio, padre Joel Sávio.

Mesmo com a redução do limite de pessoas no santuário devido à pandemia, fiéis seguem acompanhando os festejos à padroeira. “Estamos com uma expectativa alta, mais do que a gente imaginava. Mas estamos tomando todos os cuidados para que todos sejam bem atendidos. A gente vai colocar uma tenda com um telão para garantir que todos os fiéis tenham espaço para assistir as missas com tranquilidade”, acrescenta o reitor.

Os festejos em honra a Nossa Senhora de Caravaggio já são tradicionais em toda a região, principalmente, em Nova Veneza e nos municípios que vizinhos. Os devotos, anualmente, se deslocam ao município em celebração à data. “A festa de maio é uma das mais populares no âmbito religioso, o povo tem muita devoção e carinho por essa festa e, é claro, eles não abrem mão de participar, mesmo com o limite [de capacidade] que nós temos”, finaliza o padre.

A história da Santa

 

A história de Nossa Senhora do Caravaggio inicia em 26 de maio de 1432, em Caravaggio, na Itália. Foi nesse lugar, em um contexto de divisões políticas e religiosas, que a padroeira apareceu para uma camponesa, de nome Joaneta. Ela pediu à jovem que o povo voltasse a fazer penitência, jejuar e orar na igreja, em agradecimento pelos castigos afastados, e que lhe fosse erguida uma capela. Assim, foi denominada a Santa.

Ao lado de onde estavam seus pés, brotou uma fonte de água, existente até os dias de hoje, onde muitos doentes recuperam a saúde. Joaneta, como verdadeira missionária, levou ao povo e aos governantes a mensagem de Maria. A paz foi restabelecida na pátria e na Igreja. A devoção se espalhou entre o povo italiano, que trouxeram para o Brasil o amor e a fé pela “Madonna de Caravaggio”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.