Falta de manutenção e imprudência no Anel Viário de Criciúma

Nas últimas semanas, dois graves acidentes foram registrados no trecho. Moradores pedem por atenção dos condutores, fiscalização dos policiais e melhor sinalização

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Um trânsito seguro, sem causar riscos à população, é baseado em conscientização e respeito às regras. A imprudência e falta de manutenção no trecho correspondente ao Anel Viário de Criciúma têm colocado os condutores e passageiros em risco, uma vez que dois graves acidentes foram registrados na rodovia nas últimas semanas, um deles, inclusive, resultou na morte de um jovem de 20 anos.

- PUBLICIDADE -

Gustavo Fernandes dos Santos veio a óbito após uma colisão na Rodovia Arquimedes Naspolini, no Anel Viário de Criciúma, no último dia 8. Embora as causas ainda não tenham sido divulgadas, a gravidade da ocorrência acende o alerta para a atenção que os condutores devem ter na localidade, principalmente, devido ao alto número de acidentes registrado nos últimos meses.

Otávio Dal Pont mora há mais de três décadas às margens da Rodovia Archimedes Naspolini, e conta que já viu dezenas de acidentes ao longo desse período. “A rótula é perigosa, mas também é imprudência dos motoristas e dos motoqueiros que correm muito. Por exemplo, eu saio de carro, eu não corro muito, mas têm condutores, principalmente os mais jovens, eles pensam que sabem tudo, nessa idade eu também achava, mas não é bem assim”, comenta.

A situação preocupante também é confirmada pelo presidente da Associação do Bairro Mina do Toco, Luiz Carlos Naspolini. “Esses acidentes estão constantes. Primeiro, é imprudência dos motoristas, estão acima da velocidade e como não tem placa para redução, eles exageram um pouco. Outro problema são os motoristas embriagados, eles estão bebendo direto, ali não tem fiscalização. Às margens da estrada estão tomadas pelo matagal, quando a rodovia era nova e o acostamento estava limpo, não aconteciam acidentes, foi só o mato crescer e tampar as placas que começou”, lamenta.

Para o morador, as ocorrências de trânsito só vão diminuir depois que a rodovia passar por uma boa manutenção. “Na minha opinião, para minimizar esses acidentes, eles deveriam fazer a limpeza do acostamento, sinalizar bem com tachões, minimizar a velocidade máxima e colocar a fiscalização, os policiais na pista, principalmente à noite. Todos os acidentes estão sendo mais noturnos. A visibilidade é pouca, tem uma baixa na rodovia que tem muita cerração, tudo isso está contribuindo”, enfatiza Naspolini.

A falta de atenção dos condutores é o que mais tem causado os acidentes. “O asfalto ficou muito bom, a rodovia é um luxo para nós, é um exemplo, muito bem feita, só que o motorista não está sabendo andar na estrada, ele que é o culpado, porque se todo mundo andasse na mão certa, não havia acidente. Para evitar essas ocorrências, tem que fazer uma boa revisão na pista, principalmente nesse trecho da Vila Zuleima até Cocal do Sul”, finaliza o presidente da associação.

Comportamento dos motoristas

Segundo o chefe da Seção de Operações do 9º BPM, major Rafael Mateus, os acidentes como um todo, não somente o último fatal registrado no Anel Viário de Criciúma, entre 90 e 95% das causas se dão pelo comportamento do motorista no que tange a imprudência, negligência e imperícia. “Além disso, a segurança no trânsito leva em consideração o bom estado do veículo, a sinalização na via, as condições, as questões climáticas, muito embora haja uma via sinalizada e em boas condições, mas em decorrência de uma chuva ou de um temporal, cabe ao condutor atua de forma preventiva e, até mesmo, reduzir a velocidade”, enfatiza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.