Fala de prefeito de Criciúma gera denúncia ao Ministério Público

Vereadora Giovana Mondardo e entidades vão entrar com denúncia após vídeo lançado pelo líder do executivo que ataca a população LGBTQIA+.

Foto: Reprodução
- PUBLICIDADE -
Após uma denúncia nas redes sociais de que um professor da rede municipal de ensino de Criciúma exibiu o clipe Etérea do cantor Criolo para alunos do 9º ano, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), gravou um vídeo falando sobre o caso. Além de confirmar a demissão, que foi justificada por nota oficial que se deu por ser contra as Diretrizes Curriculares, por meio do Plano de Ensino Unificado, o prefeito utilizou a palavra “viadagem” em seu discurso.

No vídeo postado nas redes sociais do prefeito, Salvaro declarou que não aceitaria este tipo de “viadagem” nas salas de aula. “Por este motivo, estamos entrando com uma denúncia no Ministério Público contra o prefeito, pois é inadmissível que a homofobia seja tratada como opinião e que alguém que exerça o maior cargo público de uma cidade se porte desta maneira”, destacou a vereadora de Criciúma, Giovana Mondardo.

Este não é um caso isolado, pois em 2017  já havia feito declarações bem semelhantes, atacando a população LGBT. Em 2019, O Supremo Tribunal Federal equiparou o crime de homofobia com o crime de racismo, de acordo com a Lei nº 7.716 de 15 de janeiro de 1989.

- PUBLICIDADE -

Entidades como o PCdoB, União Nacional LGBT, ABGLT, Mães pela Diversidade e a OAB Diversidade também se posicionaram contra as falas preconceituosas do prefeito e também devem entrar judicialmente contra o prefeito de Criciúma.

O vídeo pode ser conferido por meio deste link.

Ato no sábado

Como resposta, será realizado um ato em frente à prefeitura de Criciúma no sábado, dia 28, a partir das 14h, em que já confirmaram pessoas de Criciúma e região.  Mais informações serão definidas durante esta quinta-feira.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.