Especial Morro da Fumaça: um dos primeiros redutos fumacenses

Bairro Linha Torrens é um dos mais antigos da cidade e conta com uma associação de moradores bem articulada que busca melhorias para o tranquilo e belo local

Localidade recebeu câmeras de segurança, em uma parceria dos moradores com a Polícia Militar
- PUBLICIDADE -

Tiago Monte/ Morro da Fumaça

Um dos locais mais antigos de Morro da Fumaça é o bairro Linha Torrens. Para manter a tranquilidade e a beleza do local, os moradores organizaram uma Associação que é bem articulada e busca melhorias para todos. Uma das conquistas mais recentes foi a instalação de câmeras de vigilância nos principais pontos de entrada e saída do bairro. E vem mais por aí. “Nós implantamos a rede de vizinhos, junto com a Polícia Militar, e implantamos o sistema de câmeras: são 13 equipamentos. Então, a gente as identificou com placas e vamos instalar, provavelmente, mais seis câmeras até o próximo mês”, comenta o integrante da Associação de Moradores, Glauber Recco.

- PUBLICIDADE -

As primeiras câmeras foram financiadas com recursos dos próprios moradores. Porém, para os novos equipamentos, a Associação conquistou investimentos. “As câmeras foram bancadas pelos moradores. Cada um ajuda com o que pode, o que consegue. Para esse ano, conseguimos três mil reais”, explica Recco.

O local não é considerado violento, mas alguns roubos aconteceram na localidade, o que motivou a iniciativa dos moradores. “É um reduto tranquilo, mas aconteceram alguns roubos de gado, algumas situações estranhas e a Polícia utilizou das imagens para investigar. Umas duas ou três vezes, os policiais usaram as câmeras para investigar os casos”, pontua o morador.

Padronização dos números nas casas

Outro movimento para deixar o local mais bonito e organizado foi a criação de placas padronizadas para identificar os números das casas. “Nós estamos também fazendo um projeto para que o moradores coloquem número nas casas. Até então não tinha. Como agora teve pavimentação, os moradores estão fazendo uma placa padrão, de madeira, para que todos coloquem nas casas. Assim, o bairro fica mais bonito”, ressalta Recco.

A Associação de Moradores é formada por voluntários. Atualmente são, aproximadamente, 30 pessoas que integram o grupo. Porém, as decisões de melhorias para o bairro não são centralizadas.“A gente sempre convida a comunidade inteira a participar das ações. Então é como se todos tivessem protagonismo”, diz Glauber.

Ele é nascido no bairro, morou em Criciúma, mas retornou para Linha Torrens. E está feliz com a escolha. “É um bairro extremamente verde com ar puro e não tem indústrias. Basicamente, são agricultores que moram no local. Então, é muito tranquilo e a comunidade é bastante unida. O que destaca mesmo é a beleza do bairro. Ele é muito bonito”, ressalta. “Temos qualidade de vida e tranquilidade para ter uma vida melhor”, completa Recco.

Embelezamento da rodovia Tranquilo Sartor

Também com iniciativa dos moradores, a rodovia Tranquilo Sartor está ficando com nova aparência. A Associação está desenvolvendo um projeto e entrando com uma solicitação na prefeitura para, ao longo de toda a rodovia Tranquilo Sartor, fazer um embelezamento.  “Estamos pedindo para a prefeitura plantar grama ao longo da rodovia e a associação vai plantar flores. Estamos colhendo um tipo de flor que é perene, que dá flor o ano inteiro. Nós vamos ajudar com a manutenção e o plantio dessas flores”, pontua Glauber. “Ainda não definimos o tipo. Tem uns dois ou três para serem escolhidos, mas não foi batido o martelo”, completa.

A união serve para melhorar o ambiente. “Temos vários moradores que, por iniciativa própria, depois que a rodovia foi pavimentada, plantaram flores por ali. A parada de ônibus foi adornada com flores trepadeiras ao redor. A própria comunidade se une para melhorar o ambiente”, finaliza.

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.