Entraves barram a conclusão do Anel Viário de Criciúma

Adequações no projeto devem ser realizadas pelos técnicos do município. Governo do Estado aguarda cumprimento das exigências, ambientais e de desapropriação, para abrir edital licitatório

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Dois principais entraves impossibilitam a conclusão da última etapa do Anel de Contorno Viário, em Criciúma. A demanda segue com tratativas entre a Secretaria do Estado da Infraestrutura e a prefeitura. Conforme informações mais recentes, a desapropriação dos terrenos no entorno da área e algumas exigências ambientais devem ser incluídas no projeto de execução para que a obra seja, enfim, concluída. O setor de obras do município se comprometeu em elaborar as questões ainda pendentes.

- PUBLICIDADE -

“A gente começou a tramitar para fazer a execução da obra e a nossa intenção é poder lançar o edital de licitação já agora no primeiro semestre de 2021, só que quando começamos a fazer a análise do projeto, percebemos que não havia a parte do componente ambiental, nem a questão do projeto de desapropriação, são poucas áreas que têm, mas não havia isso”, explica o secretário do Estado da Infraestrutura de Santa Catarina, Thiago Vieira.

O último trecho passa pela Avenida Luiz Lazzarin e tem pouco mais de dois quilômetros e meio a serem concluídos. “A gente precisa sanar tanto as questões ambientais do projeto, as exigências, quanto às desapropriações. Eu fiz uma reunião no final do ano passado com o prefeito e nessa ocasião a gente acordou que a prefeitura iria resolver isso e fazer essas adequações no projeto para que a gente pudesse licitar e executar a obra”, acrescenta Vieira.

Ainda nesta semana, segundo o secretário, técnicos do Estado e do município trataram sobre os encaminhamentos do projeto. “Meus profissionais conversaram com a prefeitura para saber, de fato, como poderia prosseguir isso, se andou ou se não andou. A informação que tenho é que a prefeitura já iniciou as tratativas para fazer o processo de adequação, então a situação é essa hoje. A gente quer fazer, tem recursos para fazer, mas temos essas pendências, especialmente as exigências ambientais. Mas firmamos a parceria e a prefeitura se comprometeu”, ressalta.

O procedimento, conforme a atual situação do projeto, está em aberto e aguarda a resolução dos impasses para que o governo autorize o andamento da obra. Durante uma reunião em dezembro do ano passado, o prefeito de Criciúma se dispôs a auxiliar nas demandas que estão pendentes, uma vez que possuem técnicos capacitados. “São exigências, estudos e levantamentos, e às vezes algumas questões de manifestação mesmo, se tem comprometimento, corte de vegetação, ou alguma influência em área de preservação permanente”, finaliza Vieira.

Sem prazo para concluir adequações

O secretário da Infraestrutura de Criciúma, Tita Beloli, afirma que ainda não há uma estimativa para finalização das adequações no projeto. “O secretário pediu algumas sugestões e encaminhamentos para a prefeitura. Então isso está sendo visto pelo governo”, enfatiza. Desta forma, os valores e áreas a serem desapropriadas seguem sendo orçados, sem números definidos.

O projeto do Anel de Contorno Viário de Criciúma se arrasta há pelo menos 30 anos e, até o momento, não há previsão para conclusão. O trecho a ser finalizado fica entre a SC-445, no bairro Vila Zuleima, até acesso ao Distrito do Rio Maina. Conforme o último balanço, a etapa que falta está orçada em R$ 24 milhões. Quando oficialmente estiver pronta, a obra deve desafogar o trânsito na localidade e contribuir com a mobilidade urbana.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.