Dia do Professor: educação que une e transforma

No dia deles, relatos de quem vivencia – e AMA – o que faz

Foto: Divulgação Satc

- PUBLICIDADE -

No dicionário, o termo aprendiz é designado para quem está aprendendo um ofício ou uma arte, alguém jovem e inexperiente. Às vezes, mesmo com anos de experiência, o início do trabalho representa o frio na barriga. No Dia do Professor, comemorado neste 15 de outubro, muitos se percebem eternos aprendizes, que buscam, a cada aula, melhorar, se desafiar e trocar conhecimentos com estudantes de todas as idades.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Nas últimas seis décadas, a Satc contribuiu para transformar gerações. Professores e estudantes passaram por seus corredores e salas de aula e se espalharam pelo mundo. O conhecimento, que promove as mudanças, é disseminado pelos educadores.

“Para uma sociedade evoluir, crescer, se transformar, a alternativa que temos é pela educação. E esse processo acontece pelas mãos do professor. É o educador que é esse agente de transformação”, afirma o reitor da UniSatc, Carlos Antônio Ferreira.

Uma eterna aprendiz

Nos 13 anos em que está inserida no contexto escolar, a professora Nazarena Idalino Trombim viu mudanças e transformações. Atuando nas disciplinas de História e Ensino Religioso com as turmas do ensino fundamental e ensino médio, percebeu que as formas de se relacionar, discutir assuntos e interagir estão em constante alteração. “Me preparo muito para as aulas. Procuro novas formas de apresentar, novas dinâmicas e maneiras de atuar junto com outras disciplinas”, argumenta.

Para Nazarena, o compromisso principal do educador é grande, porque cabe a ele a tarefa de instruir pessoas, transmitir saberes. “Ensinar é educar. Mas, sobretudo aprender com nossos alunos. Nós somos eternos aprendizes”, pondera ela.

Formação técnica nas novas gerações

Transmitir os ensinamentos que outros mestres lecionaram e incluir um toque ainda mais especial na educação. Esse é um dos caminhos vividos pelo professor do ensino técnico do Colégio Satc, Gustavo Henrique Rocha de Carvalho, que tem em sua formação a expertise da Satc como Técnico em Design Gráfico.

“Ser professor na Satc é muito gratificante, pois contribuímos para formação de profissionais que vão fazer a diferença no mercado de trabalho”, destaca Gustavo.

É com carinho que o professor lembra da sua trajetória de conquistas e desafios lecionando para as novas gerações. “Como professor precisamos sempre nos reinventar, os alunos mudam, as ferramentas mudam e o mercado muda. Precisamos sempre estar atentos e resilientes para conseguir ser efetivo e fazer a diferença na vida profissional ou até mesmo pessoal dos alunos”, enfatiza.

Conhecendo o mundo de possibilidades que a comunicação oferece e sendo a área que escolheu para seguir profissionalmente, que o professor Gustavo dá aula de Empreendedorismo Criativo, Startup World e Web Designer, para os cursos técnicos de Administração, Design Gráfico, Eletromecânica, Manutenção Automotiva e Mecânica.

Uma apaixonada pelos livros

Não foi ela que definiu a educação, mas foi a docência que a escolheu. A professora Claudia Nandi Formentin sabe o poder da educação, apaixonante, transformador, único. Jornalista por formação, ela se viu inserida aos poucos no universo da educação. “Comecei a trabalhar na parte administrativa de uma escola ainda na graduação. Depois, já no mestrado, fui convidada para dar uma aula e substituir uma professora”, comenta.

Isso foi em 2004. Aos poucos, assumindo novas tarefas e ingressando nesse ramo, ela não se vê em outra coisa. Professora da UniSatc, dos cursos na área da Comunicação, Claudia é uma educadora apaixonada e transformada pela leitura. Seus alunos já sabem que ela sempre vai ter algo para contar sobre os livros que está lendo, ou melhor, devorando.

“Não tem como separar a docência da leitura. Qualquer profissão está ligada à leitura. Com o Jornalismo, nem se fala. Sempre fui uma leitora de muitos livros”, ressalta Claudia.

A experiência em sala fez com que ela aprendesse que as aulas estão sempre em construção, em transformação. “Sendo professora, me descobrindo estou eternamente aprendendo e consigo levar isso para as aulas. Me sinto hoje uma melhor leitora da minha própria realidade”, pondera Claudia.

O prazer de lecionar presente no DNA Satc

Valorizar o DNA Satc sempre foi um dos pilares da instituição. Não são poucos os exemplos de professores que são ex-alunos Satc. Profissionais que foram inspirados por outros docentes e que hoje levam seus ensinamentos adiante. É o caso do professor João Paulo Silva, de História. Ele começou sua jornada na Satc em 2004, na primeira série do Ensino Fundamental e no 9º ano já pensava em lecionar.

“Já tinha pensando nisso antes, mas ali começou a tomar forma, principalmente vendo os meus professores dando aula. A didática, os diálogos divertidos, os conselhos, os puxões de orelha, percebia o carinho e a motivação deles e como mantinham um diálogo sempre motivador, ainda que cobrassem. A partir dali, queria ser um professor como eles”, lembra.

Primeiro professor da família e hoje casado com uma professora, João traz dos professores que teve a inspiração para continuar lecionando e passando os ensinamentos adiante. “Ensinar, aprender, compartilhar experiências, vivências. Se eu puder contribuir 1% na formação desses alunos enquanto cidadãos, corretos, éticos e realizados e felizes, já é uma grande conquista”, afirma o professor.

O professor João dá aulas no 8° e 9° anos do Ensino Fundamental e no 1°, 2° e 3° ano do Ensino Médio. Todos com a disciplina de História. Além disso, iniciou em 2021 no intensivo pré-Enem da escola, nas disciplinas de Sociologia e Atualidades.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.