Criciúma: Uma história de bondade e superação

Ex-usuário de drogas, Diego Basílio, de 37 anos, lidera um projeto social que proporciona um Natal mais feliz para crianças e famílias do bairro Tereza Cristina


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O período natalino naturalmente inspira as pessoas a ajudar os outros e desperta a solidariedade. Porém, na vida de Diego Basílio, isso é uma rotina. Ex-usuário de drogas, ele conta com um projeto social, no bairro Tereza Cristina, em Criciúma que proporciona um Natal mais feliz para cerca de 200 crianças e familiares. “No último domingo, realizamos o Natal Solidário. Todo ano é feita essa ação. E fazemos também em outras oportunidades, independente da data: Natal, Páscoa e tudo quanto é tipo de evento. A gente faz. Não realizamos apenas nas datas comemorativas, mas ajudamos também diariamente as pessoas que nos procuram aqui”, explica Diego.

Ele também é pastor e atua no Ministério Chamado no Valado, cuja igreja fica nas imediações do trilho. A ação social faz distribuição de cestas básicas. “Prestamos solidariedade para a comunidade”, destaca.

As doações são obtidas através de contatos realizados por Diego e pela esposa Fátima. “Todos os alimentos e produtos são obtidos através dos meus contatos. São doações de amigos e irmãos. Nós não temos apoio de ninguém. É tudo através das pessoas que a gente vai atrás”, comenta.

No domingo passado, um amigo do casal se vestiu de Papai Noel, distribuiu alimentos e divertiu as crianças. Diego e Fátima repetem a dose. “Eu e a minha esposa nos vestimos de palhacinhos para ir aos hospitais e orfanatos para alegrar um pouco a criançada. Esse é o nosso trabalho”, diz.

*Confira a matéria completa na edição desta quarta-feira do jornal Tribuna de Notícias

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.