Criciúma define vacinação para adolescentes e aplicação da terceira dose

Vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos e aplicação de terceira dose em idosos de 70 anos ou mais inicia em setembro

Foto: Arquivo/Decom

- PUBLICIDADE -

A Secretaria de Saúde de Criciúma definiu a vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos e a aplicação da terceira dose em idosos. O sistema de vacinação para estes dois públicos inicia em setembro, conforme a chegada de novos lotes de vacina contra a Covid-19 na cidade.

No sistema de vacinação dos adolescentes, serão aplicadas as doses por idade de forma decrescente. Para aqueles que tem alguma deficiência permanente ou comorbidade, o sistema será diferente: os cidadãos que tem entre 12 a 17 anos podem ser vacinados independente da idade. Sendo que 10% das doses serão destinados ao grupo prioritário de adolescentes.

- PUBLICIDADE -

A terceira dose para idosos de 70 anos ou mais serão feitas naqueles que tomaram a segunda dose há seis meses ou mais. Para declarar as comorbidades, deve anexar os documentos comprobatórios no Portal Minha Vacina: https://minhavacinacriciuma.com.br/site/.

Novas doses

Criciúma recebeu nesta quarta-feira (25), 1.036 doses da vacina contra a Covid-19. A vacinação segue com pessoas acima de 18 anos e segunda dose, de acordo com a marca da vacina. Nesta quarta-feira, somente o Salão Paroquial da Santa Bárbara estará aberto até às 20h.

Segunda dose

Para saber quando tomar a sua segunda dose da vacina, calcule as datas de vacinação por meio do Portal Minha Vacina.

Faltam quantas pessoas para se vacinar?

Acima da faixa etária dos 18 anos, ainda faltam 15 mil pessoas para se vacinar contra a Covid-19. Deste número, aproximadamente 1 mil pessoas negaram tomar a vacina.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.