Covid-19: USP disponibiliza áudios e vídeos para combater fake news

Objetivo é conscientizar e esclarecer a população

Itamar Crispim/ Fiocruz

- PUBLICIDADE -

Diante da profusão de mensagens falsas sobre covid-19 nas redes sociais, representantes do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP) procuram fornecer conteúdos confiáveis à população. A União Pró-Vacina, que conta com o apoio de sete instituições, criou materiais que podem ser usados por qualquer pessoa, para que possam, com isso, manter seu círculo social devidamente informado.

Ao todo, 11 vídeos e 13 áudios estão disponíveis para download. Entre os temas abordados, estão a importância da campanha de vacinação e o esclarecimento de dúvidas em torno de vacinas.

- PUBLICIDADE -

Um dos boatos que circulam – há anos, na verdade, entre movimentos anti-vacina – é o de que imunizantes provocam autismo, o que não é verdade. A hipótese de haver tal associação surgiu em 1998, com a publicação de um artigo assinado por um médico inglês, chamado Andrew Wakefield, publicado na revista científica The Lancet.

O estudo teve uma amostragem bastante pequena e não apresentou evidências científicas que pudessem, de fato, levar a essa conclusão. A pesquisa investigou 12 crianças com autismo, sendo que os pais de oito delas declararam que os sintomas do transtorno apareceram após a vacinação tríplice para rubéola, caxumba e sarampo, o que sugeria a relação com o imunizante. Além disso, foi descoberta uma zona cinzenta quanto às intenções do pesquisador: ele manipulou resultados para chegar ao resultado que queria, que favorecia o grupo financiador de seu trabalho, que levantava provas para usar em um processo contra produtores da vacina tríplice.

Atualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa o 3º lugar, em número de casos confirmados de covid-19, perdendo somente para os Estados Unidos e a Índia. Na última quinta-feira (7), o país ultrapassou a marca de 200 mil mortes decorrentes da infecção pelo Sars-CoV-1, e o total de casos acumulados da doença no país chega a 8.075.998.

Via Agência Brasil

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.