Cidades retomam aulas 100% presenciais

Após mudança em decreto estadual, Forquilhinha e Nova Veneza terão o retorno de todos os alunos às salas já na segunda-feira. Outros municípios da Amrec também avaliam a retomada

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com a baixa nos números das infecções por Covid-19 e com o início do segundo semestre nas escolas públicas e privadas – e nas universidades – o governo de Santa Catarina editou as regras de combate à pandemia da Covid-19.

Cada unidade de ensino, seja ela pública ou privada, pode definir e organizar o próprio ensino presencial, desde que respeitando as regras do Estado. As instituições de ensino terão até 30 dias, a partir da data de publicação do decreto – quarta-feira, dia 11, para efetuar as readequações necessárias.

Em Forquilhinha e Nova Veneza, as aulas 100% presenciais serão retomadas a partir da segunda-feira, dia 16. Os municípios estão tomando todas as medidas necessárias para a segurança dos alunos e professores, desde o início da pandemia. Intensificando a segurança sanitária, com distanciamento e todos os cuidados para evitar o contágio da covid-19. “Na semana que vem volta 100% presencial quem estava no hibrido (uma semana em sala e outra em casa). Esses voltam na segunda-feira. Quem estava 100% remoto volta na outra semana (dia 23). Isso para não dar um transtorno muito grande. Tem que equacionar com tamanho de sala e algumas turmas são um pouco maiores”, explica o Secretário de Educação de Forquilhinha, Felix Hobold.

Com o avanço da vacinação e uma alta procura, por parte dos pais, para que os filhos retornem às salas de aula, as Prefeituras destacam que os profissionais de educação estão preparados para receber todos os alunos. Só não estão obrigados a retornarem, alunos que possuem comorbidades, assim como gestantes e puérperas. “Eles precisam apresentar atestado médico, não será mais escolha dos pais”, detalha Hobold.

Em Criciúma, a convocação dos professores para as aulas 100% presenciais já havia acontecido no dia primeiro de junho, assim como a convocação dos alunos para a presença em sala de aula.

No aguardo da publicação da portaria

A presidente do Colegiado Educação da Associação dos Municípios da Região Carbonífera e secretaria de Educação de Orleans, Maira Regina Luiz, destaca que os municípios ainda aguardam a portaria oficial emitida pela Secretaria de Estado da Educação. “A gente teve uma reunião com a Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina) e estamos aguardando a portaria. A partir daí, cada município vai fazer o seu decreto”, diz.

Algumas cidades da Amrec, como Içara, definirão pelo retorno ou não das atividades totalmente presenciais até o final desta sexta-feira. Em Cocal do Sul, as definições acontecerão no começo da próxima semana, após reunião do comitê local.

Maíra afirma que as regras não são muito diferentes das que já estavam em vigor. “Não mudou muita coisa, não. Eles (Governo do Estado) meio que ‘pintaram’ algo, mas estávamos olhando e não tem muita mudança em relação ao distanciamento, por exemplo. Temos que usar a mesma regra”, comenta.

A portaria deve chegar às autoridades municipais na segunda-feira. “A gente vai esperar para tomar a decisão e ainda precisamos respeitar o PlanCon que foi feito”, detalha Maira. O Plano de Contingência Escolar para a Covid-19 (PlanCon-Edu/Covid-19) condiciona o retorno das atividades educacionais presenciais.

Algumas medidas continuam sendo obrigatórias e precisam ser seguidas pelas unidades escolares.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.