Captações baixam e Hemosc precisa de doações de sangue

Maior necessidade é das tipagens A- e O-, que estão com os estoques reduzidos

Foto: Arquivo TN

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Após a excelente adesão da população à campanha Junho Vermelho, que busca incentivar a doação de sangue, o número de captações voltou a baixar significativamente na região. Responsáveis pelo centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc) alertam sobre a importância dos estoques estarem adequados caso haja necessidade. Atualmente, as tipagens A- e O- são as que estão mais reduzidas.

- PUBLICIDADE -

“Durante todo o mês de julho até o momento, nós tivemos uma queda considerável no número de doações. A média ideal de coletas por dia, só aqui em Criciúma, seria de 60 a 70. Nós temos com frequência tendo menos que 50 bolsas, dias com 22 coletas. Nós ainda estávamos nos beneficiando de uma excelente coleta de junho, mas em julho, com essas baixas, já estamos começando a ter reflexos nos estoques”, explica o responsável pela divisão técnica do Hemocentro Regional de Criciúma, Rafael Luiz da Silva.

Atualmente, o estoque dos sangues A- e O- é o que está mais reduzido. Porém, A+ também precisa de reforço. “Todas as tipagens estão com tendência à queda. É importante que as pessoas não só no Junho Vermelho, mas durante todo o ano, continuem as doações”, acrescenta o responsável pela divisão técnica.

Um dos fatores que contribuiu com a queda do número de doações é a vacinação contra a Covid-19. Isso porque, as pessoas que receberam o imunizante precisam aguardar um prazo pré-estabelecido para poderem doar sangue posteriormente. “Hoje, nós temos quatro tipos de imunizantes. A Coronavac são dois dias sem poder doar após cada vacina, já a Pfizer, AstraZeneca e Janssen, são sete dias sem poder fazer a doação de sangue”, explica Da Silva. “Quem fez a vacinação, o próximo compromisso é a doação de sangue”, completa.

A equipe do Hemosc trabalha com ações para que as doações aumentem, sobretudo desde o início da pandemia. “Estamos desde o ano passado batalhando bastante e não é diferente agora. O consumo continua elevado. Acidentes, cirurgias de médio e grande porte, cânceres, doenças hematológicas, hereditárias e genéticas, tudo isso continua acontecendo. Em muitos casos, só o sangue que vai fazer essa pessoa se recuperar ou dar uma melhor qualidade de vida”, finaliza o profissional.

Horário de atendimento

Para quem tiver interesse em ser um doador, é necessário agendar um horário via telefone (48) 3444-7400 ou pelo site hemosc.org.br. O hemocentro de Criciúma atende das 8h15 às 18h30, sem fechar ao meio dia.

Período para doar após receber imunizante:

  • CORONAVAC: DOIS DIAS SEM PODER DOAR (DOA NO TERCEIRO);
  • ASTRAZENECA: SETE DIAS SEM PODER DOAR (DOA NO OITAVO);
  • PFIZER: SETE DIAS SEM PODER DOAR (DOA NO OITAVO);
  • JANSSEN: SETE DIAS SEM PODER DOAR (DOA NO OITAVO).

*Fonte: Hemosc

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.