Balneabilidade em SC: 182 pontos estudados estão próprios para banho

Esse é o último relatório de balneabilidade de 2021

Foto: Lucas Colombo/TN

- PUBLICIDADE -

O último relatório de balneabilidade do ano e quarto da temporada 2021/2022 foi divulgado nesta quarta-feira, 29, pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) e mostra que 182 dos 231 pontos analisados estão próprios para banho no estado. Ou seja, 78,8%. Se considerarmos apenas Florianópolis, por exemplo, esse percentual sobe para 83,9% – na Capital, dos 87 locais onde há coleta, 73 estão em condições de receber banhistas.

Confira o relatório desta quarta, 29 (clique aqui)

- PUBLICIDADE -

As análises são realizadas nos municípios de Balneário Camboriú, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo e São José.

Todos os dados e o histórico das coletas podem ser acessados na íntegra no site: balneabilidade.ima.sc.gov.br ou pelo aplicativo Praia Segura.

Como é feito?

O IMA conta com apoio do Corpo de Bombeiros para a realização das coletas. Posteriormente, as amostras são levadas para o laboratório central do IMA, em Florianópolis. Para dizer se um ponto é próprio ou impróprio para banho, o IMA analisa a presença da bactéria Escherichia coli, presente em fezes de animais e humanos.

O Instituto ressalta que os critérios para a análise de balneabilidade do Estado estão de acordo com o que estabelece na legislação. A Resolução CONAMA nº 274, de 29 de novembro de 2000, determina que o Índice de Balneabilidade seja calculado a partir das densidades de Escherichia coli. 

Os aspectos levados em consideração são: condições de maré; incidência pluviométrica das últimas 24 horas; temperatura da amostra e do ar no momento da coleta; e imediata condução para pesquisa em crescimento bacteriano.

A água é considerada:

Própria: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas, no mesmo local, houver no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros.

Imprópria: quando em mais de 20% de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas anteriores, no mesmo local, for superior que 800 Escherichia coli por 100 mililitros ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.