Baleia-jubarte é encontrada morta em praia de Florianópolis

Pesquisadores precisaram rebocar baleia e retirá-la com uma retroescavadeira na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis

Baleia-jubarte fêmea encontrada morta no Pântano do Sul – Foto: Nilson Coelho/R3 Animal/Divulgação/ND
- PUBLICIDADE -

Uma baleia-jubarte fêmea foi encontrada morta na manhã desta quarta-feira (7), na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis. O animal estava boiando no mar. Ela media 7,8 metros de comprimento.

A baleia-jubarte foi rebocada com o auxílio de uma embarcação, sendo retirada com o auxílio de uma retroescavadeira. A baleia passou pelo exame de necropsia e em seguida foi enterrada na praia.

- PUBLICIDADE -

De acordo com a presidente da R3 Animal e coordenadora do PMP-BS/Florianópolis, médica-veterinária Cristiane Kolesnikovas, o animal era um indivíduo juvenil e estava bastante magro.

Necropsia

Biólogos, veterinários e voluntários da R3 Animal realizaram a necropsia do animal no local. “O exame necroscópico foi inconclusivo. Amostras foram coletadas e serão enviadas para análise para tentar identificar a possível causa da morte”, explica Kolesnikovas.

De acordo com a R3 Animal, havia a presença de bastante piolhos de baleia (espécie de crustáceo marinho) pelo corpo, o que indica que a baleia estava nadando muito lentamente – possivelmente uma condição de saúde ruim.

As ações foram feitas por meio do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos) e pelo Protocolo de Desencalhe da APA (Área de Proteção Ambiental) da Baleia Franca, e contou com o apoio da Polícia Militar Ambiental.

 

A espécie

A baleia-jubarte habita todos os oceanos. Durante o verão, a espécie de cetáceo migra para regiões polares para se alimentar e durante o inverno busca regiões tropicais para acasalar e dar à luz.

No Brasil, a baleia-jubarte se reproduz na costa dos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e do Nordeste, sendo o arquipélago de Abrolhos o maior berçário da espécie no Atlântico Sul.

 A baleia-jubarte pode atingir cerca de 16 metros de comprimento e pesar entre 35 a 40 toneladas. Se alimenta basicamente de pequenos crustáceos chamados de krills, filtrando água através de placas que descem do céu da boca.

Via ND+

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.