Assinada a ordem de serviço do projeto do trecho de duplicação da SC-445

Empresa tem seis meses para entregar o projeto que compreende da central do Giassi até a Avenida Centenário


- PUBLICIDADE -

Foi assinado na manhã desta terça-feira, dia 28, a ordem de serviço entre o Governo de Içara e a empresa Sotepa (Sociedade Técnica de Estudos, Projetos e Assessoria), vencedora da licitação para elaboração do projeto do segundo trecho da duplicação da SC 445, rodovia Paulino Búrigo. O estudo compreende da Central do Giassi Supermercados até a Avenida Jorge Elias de Luca, final da Avenida Centenário, em Criciúma, sendo ao todo 7 km de extensão. O contrato está estabelecido em seis meses para entrega do projeto final.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

A documentação da primeira etapa, de aproximadamente 2 km, compreendendo da BR 101 até a empresa Librelato, já está pronta e vai ser entregue à Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana em breve. O valor inicial do primeiro trecho está orçado em R$ 20 milhões, segundo a Provias, empresa contratada para elaboração do primeiro projeto. “Pedimos que a empresa vencedora da licitação agilize para que possamos entregar o segundo projeto daqui seis meses. A obra também vai ser realizada em duas etapas, queremos iniciar ainda em 2022”, disse a prefeita, Dalvania Cardoso.

A rodovia é um importante trecho do escoamento da produção de toda a região. “A nova SC 445, além de duplicada, vai ser mais humanizada, valorizando o comércio ao redor da via. Estamos trabalhando para que os projetos sigam um padrão de avenida, ciclovia, calçadas, corredor e abrigos de ônibus, além de canteiro central na via”, contou o gestor de convênios da prefeitura de Içara, Israel Rabelo.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.