Assembleias nesta quinta-feira podem deliberar greve nas agroindústrias

Os cerca de 3,5 mil  trabalhadores reivindicam a reposição de 100% da inflação no mês de outubro nos valores de todos os salários referentes ao mês de setembro de 2021

Divulgação

- PUBLICIDADE -

Os trabalhadores dos frigoríficos de Forquilhinha e Nova Veneza e demais unidades da JBS poderão paralisar as atividades nos próximos dias. As assembleias para aprovação ou rejeição da proposta, acontecem das 12h às 14 em Forquilhinha e das 13h30 às 17h em Nova Veneza, desta quinta-feira, 21. Serão realizadas ainda nas unidades da Seara/JBS de Araranguá, Morro Grande e Criciúma em vários turnos.

> Clique aqui e receba as principais notícias do sul catarinense no WhatsApp

- PUBLICIDADE -

Os cerca de 3,5 mil  trabalhadores reivindicam a reposição de 100% da inflação no mês de outubro nos valores de todos os salários referentes ao mês de setembro de 2021 – data-base da  categoria,aplicação de 2% de ganho real e  2%  de desconto no vale-transporte, abono do PPR no valor de R$ 1.250,00  para Forquilhinha e Morro Grande e R$ 1.525,00 em Nova Veneza  a ser pago em abril de 2022 e, a correção da cesta básica em 20% entre outros. A empresa oferece somente o INPC de 10.78%, redução do percentual das hora extras de segunda a sábado, redução do percentual do adicional noturno que é de 35% e reajuste do valor do restaurante conforme o PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador.

Conforme o diretor do Sindicato da Alimentação de Criciúma e região (Sintiacr), Célio Elias, “eles não sentaram mais com o Sindicato, pois não permitem representantes da Federação na negociação e nós não vamos aceitar reduzir direitos conquistados nas cláusulas sociais vigentes. Não achamos justo, a empresa querer  repassar o abono dos supervisor em dezembro no percentual de 200% e o trabalhador somente 10% em abril,”  explica o diretor.

Ele lembra que o lucro da multinacional JBS no último trimestre foi de R$ 4,4 bilhões ou seja, 30% a mais que no mesmo período de 2020. “Só pensa em lucrar e lucrar e, para os trabalhadores reduzir ganhos e conquistas”, critica Célio.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.