Agricultura familiar leva qualidade à merenda escolar de Urussanga

Através da Coofasul, produtores do município entregam alimentos frescos na rede de ensino. Prefeitura investe na cooperativa como forma de incentivo

Foto: Guilherme Cordeiro/ TN
- PUBLICIDADE -

Urussanga

A agricultura de Urussanga enriquece cada vez mais o cardápio dos estudantes da rede escolar do município. Pela primeira vez, através da Cooperativa Familiar do Sul Catarinense (Coofasul), produtores distribuem às instituições por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Governo Federal, itens que são indispensáveis para uma alimentação saudável e balanceada. Antes, a comercialização era realizada apenas por meio do bloco de notas, mas, com o avanço do setor, a economia regional tem se tornado cada vez mais consolidada.

- PUBLICIDADE -

É desta forma que a agricultora de Urussanga, Silvia Berti da Silva, avalia o programa de alimentação nas escolas. “É muito importante, porque serve como um incentivo aos produtores e à agricultura familiar. Tudo que a gente agrega para plantar um pouco mais, acabamos conseguindo também entregar e vender uma quantidade maior”, comenta. A produtora entrega milho verde, feijão preto e vermelho, vagem para salada, laranja e limão. Para o ano que vem, a intenção é expandir ainda mais a plantação.

“Esses projetos ajudam bastante. Isso é um grande incentivo. Tanto que nós éramos produtores de fumo, mas vamos parar e focar na produção de alimentos, até porque, faz muito mal à saúde (o fumo). No ano que vem, estou pensando em agregar a batata doce e o aipim, porque quero aumentar a produção. Esse ano já aumentou, porque eu acrescentei o feijão de vagem, antes eu produzia, mas não em grande escala, e o milho verde também”, pontua Silvia.

A agricultora produz no interior do município há cerca 20 anos, desses, há pelo menos quatro entrega produtos para a merenda escolar através do bloco de notas. “Por meio da Coofasul é muito melhor, porque conseguimos agregar e entregar mais itens da agricultura familiar às escolas”, comenta.

Com o aumento da produção, a rotina já começa cedo. “Eu acordo às 5h30 todos os dias. Temos muitas galinhas, porcos e terneiros, então olhamos todos eles até umas 7h, depois disso, começamos a lida, amarramos feijão de vagem, colocamos defensivos, carpimos, olhamos o milho, o feijão, enfim, o serviço da roça não tem hora para começar nem para terminar”, enfatiza Silvia. Atualmente, ela recebe ajuda do marido durante os dias de semana e, aos sábados e domingos, as filhas ajudam no cultivo. “Hoje existem mais mecanismos, conseguimos procurar máquinas para ajudar, antes, tudo era braçal. A mão de obra é bem difícil e escassa ultimamente. Mas buscamos investir cada vez mais na agricultura”, finaliza.

Projeto teve início em março

De acordo com a engenheira agrônoma e consultora da cooperativa, Débora Rodrigues Schuch, o projeto de alimentação nas escolas através da agricultura familiar teve início em março. “É o primeiro ano que a prefeitura está fazendo essa aquisição de produtos da merenda escolar através da Coofasul. O projeto vai beneficiar 28 agricultores e é interessante porque vai fomentar a economia desse segmento no município de Urussanga”, explica.

São entregues às escolas, verduras, frutas da estação, pães, massas, ovos e entre outros produtos.  “Há um contrato realizado entre a cooperativa e a prefeitura para fornecimento dos alimentos nas escolas, na verdade, foi realizada uma licitação, a gente entregou o projeto e ganhamos”, acrescenta Débora.

A extensionista da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI) de Urussanga, Maria Cristina Cancellier da Costa, ressalta que o programa beneficia todos os lados, tanto os agricultores, como a comunidade escolar. “É um incentivo para todos, porque é um novo mercado que se abre, e são alimentos locais, produzidos aqui no município. O produtor já colhe e no mesmo dia entrega, então são alimentos frescos. Para a economia também é bom, porque as notas fiscais saem em nome da cooperativa, circula a economia do município e os alunos ganham alimento de qualidade”, enfatiza.

Oferecer alimentos ricos em qualidade no cardápio dos estudantes é essencial. “O alimento dialoga com a biologia, desde crianças, a gente sempre comeu assim. Principalmente o aipim, a batata, os nossos pais compravam na região. É um alimento que nossos avós também comiam e que a nossa genética já veio com essa base e segue ao longo da vida”, acrescenta Maria Cristina.

Incentivo à Coofasul

A Coofasul foi fundada no dia 9 de setembro de 2004 e abrange produtores dos municípios de Urussanga, Orleans, Lauro Müller, Treze de Maio e Pedras Grandes. A cooperativa foi criada, inicialmente, com o intuito de auxiliar a produção de cachaça, porém, com a alteração do estatuto, todos os sócios que produzem, beneficiam, industrializam e comercializam produtos da agricultura familiar são atendidos.

Devido à importância que apresenta para o desenvolvimento na região, o Governo de Urussanga, assinou um Termo de Fomento com a Coofasul. O documento equivale a um valor investido de R$ 63.264,00 divididos em 11 parcelas mensais, para investimentos em reestruturação administrativa, novos sócios, expansão de novos investimentos e melhora da gestão.

A cooperativa também participa do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)/Conab, que consiste na compra de alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, destinados às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e, também, aos que são atendidos pela rede socioassistencial. Os associados distribuem ao Fundo Municipal de Assistência Social, que posteriormente faz o remanejamento dos alimentos às associações.

De acordo com o presidente da Coofasul, Tarcísio Goudinho, os programas e o repasse à cooperativa contribuem com o desenvolvimento da associação. “Tivemos algumas dificuldades burocráticas com Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e esse convênio irá facilitar a melhorar a nossa gestão”, pontua.

Para o prefeito de Urussanga, Gustavo Cancellier, o repasse serve como uma forma de incentivo à consolidação da agricultura familiar. “É o segundo ano que o Poder Público Municipal investe na associação, sendo de suma importância para o desenvolvimento socioeconômico dos pequenos produtores, gerando assim, emprego e renda”, pontua Cancellier.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.