Advogado de Criciúma está entre os três nomes para desembargador do TJSC

Carlos Werner Salvalaggio figura entre os três nomes dos quais um será nomeado ao cargo pelo governador Carlos Moisés, ao lado dos colegas Diogo Pítsica e Wilson Pereira Júnior

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) definiram a lista tríplice de candidatos a desembargador da corte, por meio de votação na tarde desta quarta-feira (21).  O advogado de Criciúma Carlos Werner Salvalaggio figura entre os três nomes dos quais um será nomeado ao cargo pelo governador Carlos Moisés, ao lado dos colegas Diogo Pítsica e Wilson Pereira Júnior. A vaga a ser ocupada pertence ao Quinto Constitucional da Advocacia – por força da Constituição Federal, todas as cortes de justiça devem ter 20% dos membros oriundos da OAB e do Ministério Público.

A etapa no TJ-SC foi a terceira votação a que os candidatos se submeteram desde o início do processo. As duas anteriores, no âmbito da Ordem dos Advogados do Brasil, incluíram uma inédita votação aberta a todos os advogados atuantes em Santa Catarina em situação regular com a entidade. Com o respaldo dos colegas, seis candidatos concorreram no plenário do tribunal diante dos possíveis futuros colegas. “É um processo longo e essas etapas denotam a importância do tribunal, a maior instância da justiça catarinense”, pontua Salvalággio.

- PUBLICIDADE -

Carlos Werner Salvalaggio

Com 28 anos de profissão, sempre atuando em escritório particular, Carlos Werner Salvalággio. 50 anos, possui pós-graduações em Ciências Jurídicas – Dogmática Jurídica pela Unisul – onde também fez a graduação em Direito – e Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Entre 2010 e 2012 exerceu o cargo de conselheiro da OAB – Subseção Criciúma e de 2014 a 2017 lecionou no curso de Direito da Unesc, em Criciúma.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.