- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Guilherme Cordeiro/TN

Silvinho. Esse foi o nome que marcou mais uma vitória do Tricolor Carvoeiro, em casa, na Série C. O camisa 11 marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o São José, na noite desta segunda-feira no Majestoso. O triunfo deixa o time treinado por Paulo Baier dentro do G4 do grupo B, agora com 20 pontos. O primeiro tempo foi marcado por erros. Aos 30 minutos, Silvinho aproveita falha de Marcelo e Pablo e abriu o placar: 1 a 0. Porém, dez minutos depois, Gabriel Lima cobrou falta forte, da intermediária, Roberto falhou ao tentar encaixar a bola e Jadson deixou tudo igual: 1 a 1. Na etapa final, as equipes tentaram o gol da vitória, em um jogo aberto e com boas chances: aos 39 minutos, Silvinho recebeu na área e colocou números finais na partida: 2 a 1. Agora, o Criciúma, na sexta-feira, pega o líder Ypiranga, em Erechim.

De camisa nova – estreando o Manto da Gratidão – o Criciúma começou o jogo pressionando o São José e não dando espaço ao adversário. As principais jogadas eram criadas por Pedro Rosa e Silvinho pela esquerda. Aos três minutos, o zagueiro Rodrigo arrancou bem com a bola e foi derrubado na intermediária. Falta. Na cobrança, a zaga afastou. Em seguida, o São José saiu para o ataque, mas não levou perigo ao gol de Roberto. Aos sete minutos, Marcão recebeu a bola na entrada da área, pela direita. O camisa 9 girou e bateu firme, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. Primeira boa chance do Criciúma na partida. O time gaúcho tentava sair tocando a bola, enquanto a marcação do Tigre pressionava desde a saída de bola do adversário. Aos 14 minutos, Mazola recebeu a bola na intermediária e avançou para chutar forte, rasteiro e obrigar Roberto a fazer a defesa. Primeira chegada do Zequinha na partida.

O Tigre tinha dificuldades para armar as jogadas pelo meio, com Dudu Figueiredo sem conseguir abastecer os atacantes. Assim, as principais jogadas eram com Hygor e Silvinho pelos lados do campo. Fellipe Mateus fazia muita falta no time carvoeiro. Enquanto isso, o adversário tentava as chegadas nos contra-ataques. Aos 23 minutos, Hygor deixou o campo, após sentir o músculo posterior da coxa, e Maranhão entrou. Aos 26 minutos, Maranhão tentou finalizar, mas foi travado pelo adversário.

Aos 30 minutos, a defesa do São José falhou terrivelmente na saída de bola, pela esquerda, Marcelo tocou errado, Pablo não alcançou, Silvinho aproveitou a falha da zaga, alcançou a bola e abriu o placar: 1 a 0 para o Criciúma. Aos 35 minutos, Dudu Figueiredo tocou para Alemão que cruzou da direita, a bola pegou no zagueiro Pablo e foi afastada por ele mesmo. Os jogadores do Criciúma chegaram a pedir um toque de mão, mas o árbitro nada marcou. Aos 36 minutos, Silvinho levou um encontrão forte de Cláudio Maradona, mas o juiz sequer deu cartão ao jogador do Zequinha. Aos 40 minutos, Gabriel Lima cobrou falta forte, de longe,  da intermediária, Roberto não segurou, falhou, e Jadson empatou o jogo: 1 a 1. O camisa 1 do Criciúma parece ter sentido a falta de ritmo, nem a experiência do jogador foi bastante para impedir o empate dos gaúchos. Aos 43 minutos, Daniel chutou forte, de fora da área, e Roberto defendeu em dois tempos. O São José cresceu no final do primeiro tempo e Everton Bala desperdiçou uma chance aos 45 minutos.

O brilho do atacante no final da partida

Aos três minutos, Silvinho fez boa jogada pela esquerda, após virada de jogo de Maranhão, e cruzou, mas Marcão não alcançou e a bola passou também pelo camisa 18 do Tigre. Aos seis minutos, o São José fez uma boa troca de passar, Everton Bala apareceu na área, driblou Alemão e bateu forte para Roberto fazer uma grande defesa, no rebote Daniel não conseguiu marcar. Melhor chance no início da etapa final foi do time gaúcho. O São José tinha mais posse de bola, enquanto o Criciúma sofria com o mau desempenho de Dudu Figueiredo pelo meio.

O Criciúma não conseguia ameaçar o adversário, enquanto o São José melhorava em campo, com uma marcação mais encaixada, em um segundo tempo mais equilibrado. Aos 19 minutos, em contra-ataque, Mazola ficou cara a cara com Roberto que saiu por baixo e fez uma grande defesa. No minuto seguinte, Silvinho deu um grande passe para Maranhão, na área, mas o goleiro Fábio Rampi também fez uma grande defesa e impediu o gol do Criciúma. Aos 22 minutos, Alemão deixou o campo, machucado, e entrou Claudinho. Por opção de Paulo Baier, Luiz Paulo entrou no lugar de Marcão. Aos 24 minutos, Luiz Paulo recebeu na área, dividiu com o zaga e foi derrubado, mas o árbitro nada marcou. No choque, o camisa 1 do Zequinha teve um corte no supercílio e o jogo ficou cinco minutos parado.

Aos 34 minutos, Marcel Scalese falhou feio, Mazola bateu e Roberto fez outra grande defesa. O time gaúcho era melhor na etapa final do jogo. Porém, aos 39 minutos, Maranhão cruzou da direita, Warley escorou e Silvinho marcou: 2 a 1 e mais uma vitória em casa garantida para o Criciúma na Série C, mesmo com sete minutos de acréscimos na etapa final. O time treinado por Paulo Baier está de volta ao G4 do grupo B.

Campeonato Brasileiro – Série C – 11ª Rodada

09/08 (segunda-feira) – 20 horas – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

CRICIÚMA

Roberto; Alemão (Claudinho), Rodrigo, Marcel Scalese e Pedro Rosa; Dudu Vieira (Eduardo), Arilson e Dudu Figueiredo (Warley); Hygor (Maranhão), Marcão (Luiz Paulo) e Silvinho. Técnico: Paulo Baier

SÃO JOSÉ (RS)

Fábio Rampi; Daniel, Pablo (Thiago), Jadson e Marcelo (Leônidas); Lissandro (Maxi Rodriguez), Everton Bala, Crystopher e Gabriel Lima; Mazola (Luiz Eduardo) e Claudio Maradona (Bruno Mota).Técnico: Pingo

Arbitragem: Djonaltan Costa de Araújo; Auxiliares: Helcio Araújo Neves e Jhonathan Leone Lopes (trio do PA)

GOLS: Silvinho (30/1T) e (39/2T) (C); Jadson (40/1T) (SJ)

Cartões Amarelos: Arilson (C); Jadson e Thiago (SJ)

Cartões Vermelhos: Cláudio Maradona (no banco) e Pingo (técnico) (SJ)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.