Tigre vê Fluminense ser letal nos ataques e se despede da Copa do Brasil

Tricolor Carioca fez 3 a 0 no Maracanã e está nas quartas de final da competição nacional

Foto: Celso da Luz/Criciúma EC
- PUBLICIDADE -

Gustavo Milioli

Rio de Janeiro

- PUBLICIDADE -

O Criciúma foi valente, tentou até o fim, mas não foi páreo para o Fluminense no Maracanã. Na tarde deste sábado, os cariocas tiveram um aproveitamento primoroso nas oportunidades criadas, venceram por 3 a 0 e estão nas quartas de final da Copa do Brasil.

Manoel, nos primeiros minutos de jogo, Gabriel Teixeira e Luiz Henrique, no segundo tempo, foram os autores dos gols que selaram a eliminação carvoeira. No agregado, o placar final do confronto terminou em 4 a 2 para o Tricolor das Laranjeiras. O Tigre, agora, concentra suas atenções exclusivamente na Série C do Campeonato Brasileiro, competição em que está momentaneamente no G-4 que avança para a segunda e decisiva fase que define as equipes que conquistarão o acesso.

Tigre leva gol cedo, mas não se abala 

O Criciúma iniciou a partida com as linhas de marcação adiantadas, pressionando a saída de bola do Fluminense. Porém, logo no primeiro ataque, foram os mandantes quem abriram o placar. Aos três minutos, Egídio tabelou com Nenê, foi à linha de fundo e cruzou na medida para Manoel cabecear com firmeza e fazer 1 a 0. O zagueiro apareceu de surpresa na pequena área, livre de marcação.

O Tigre não mudou sua proposta e continuou buscando ser efetivo no campo ofensivo. A primeira finalização aconteceu aos 12 minutos. Fellipe Mateus cobrou falta que ele mesmo sofreu e deu um susto no goleiro Marcos Felipe, que acompanhou a trajetória da bola por cima da meta.

Fellipe Mateus, desta vez de longa distância, novamente levou perigo na bola parada aos 18. Ele levantou na área buscando Marcel Scalese, que brigou com a defesa adversária e tentou finalizar de ‘puxeta’. O defensor não pegou em cheio e facilitou o trabalho do arqueiro.

O Criciúma mantinha um bom volume de jogo, mas viu sua história mudar de direção com uma infelicidade aos 29 minutos. Fellipe Mateus, que vinha sendo o jogador mais participativo em campo, sentiu uma lesão em uma disputa fora de lance e precisou ser substituído. Maranhão entrou em seu lugar.

A mudança foi maléfica para o Tricolor Carvoeiro. O Fluminense passou a tomar conta das ações da partida ainda na metade final do primeiro tempo. Gustavo fez uma grande defesa aos 33 minutos. Após cobrança de escanteio, a zaga não conseguiu afastar o perigo e a bola sobrou para Yago Felipe, na pequena área. O arqueiro fechou bem o espaço para salvar o Tigre.

Segundo tempo mortal do Fluminense 

Sem precisar construir jogadas em demasia, a equipe carioca soube aproveitar bem as oportunidades para definir o confronto na etapa complementar. O segundo gol do Fluminense, que valeria a classificação, foi marcado já aos sete minutos. Gabriel Teixeira recebeu de Luiz Henrique dentro da área e pegou de primeira. A bola foi alta, entre o meio e o canto da trave defendida por Gustavo, que caiu atrasado no lance e nada pôde fazer.

Os mandantes chegaram ao terceiro e último tento dois minutos mais tarde. Após roubada de bola no meio de campo, Fred foi lançado entre os zagueiros do Criciúma e serviu Luiz Henrique, que apareceu frente a frente com o goleiro e chutou por baixo para dar tranquilidade ao Fluminense.

Foi um balde de água fria para os criciumenses, que sentiram o baque. Apesar das substituições promovidas pelo técnico Paulo Baier, o destino do duelo parecia traçado.

Aos 18, Maranhão arriscou de longe e obrigou Marcos Felipe a voar para espalmar. Ganso desperdiçou um cabeceio livre aos 32. A bola quicou e passou por cima do travessão. Da mesma maneira, PH perdeu a chance de recolocar o Criciúma no páreo aos 40. Gabriel Henrique cruzou e, na pequena área, ele testou por cima. O goleiro estava batido no lance.

O zagueiro Manoel, do Fluminense, foi expulso logo em seguida. Ele recebeu o segundo cartão amarelo após retardar o reinício do jogo. Tarde demais para o Criciúma, que não teve tempo para propor uma pressão final.

Última vitória fora de casa foi há um ano

30/07/2020. Esta foi a data da última vitória do Criciúma longe de seus domínios. O adversário havia sido o Marcílio Dias, em Itajaí, pelas quartas de final do Campeonato Catarinense do ano passado. Jean Dias marcou o único gol daquele confronto.

O tabu é ainda maior quando fala-se em confrontos fora de Santa Catarina. A última vez que o Tigre viajou para fora do estado e retornou com os três pontos foi em 29/11/2019, o seu último jogo pela Série B do Campeonato Brasileiro. Léo Gamalho marcou duas vezes para decretar o triunfo por 2 a 1 diante do Oeste, em Barueri.

Os comandados de Paulo Baier terão uma nova chance de quebrar esta escrita na próxima quarta-feira. O adversário será o Ituano, pela 10ª rodada da Série C, no estádio Novelli Júnior, em Itu. O duelo terá início às 17 horas.

Copa do Brasil – Oitavas de Final – Jogo de volta

Sábado (31/07) – estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro

FLUMINENSE 

Marcos Felipe; Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Egídio; Yago Felipe (André), Martinelli e Nenê (Ganso); Luiz Henrique (Lucca), Fred (Abel Hernández) e Gabriel Teixeira (Kayky). Técnico: Roger Machado

CRICIÚMA 

Gustavo; Alemão (Claudinho), Rodrigo, Marcel Scalese e Helder; Dudu Vieira, Eduardo, Dudu Figueiredo (Gabriel Henrique) e Fellipe Mateus (Maranhão); Hygor (PH) e Marcão. Técnico: Paulo Baier

Gols: Manoel, Gabriel Teixeira e Luiz Henrique (Fluminense)

Cartões amarelos: Samuel Xavier, Manoel e Yago Felipe (Fluminense); Dudu Vieira e Fellipe Mateus (Criciúma)

Cartões vermelhos: Manoel (Fluminense)

Arbitragem: Felipe Fernandes de Lima; Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Celso Luiz da Silva (trio de MG).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.