Tigre recebe a Ponte Preta mirando a classificação

Confronto válido pela segunda fase da Copa do Brasil terá início às 19h de hoje

Foto: Celso da Luz/Criciúma EC
- PUBLICIDADE -

Gustavo Milioli

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A temporada ainda está no início, mas o Criciúma já tem uma partida crucial para as suas pretensões visando o decorrer do ano. Na noite desta quinta-feira, o Tigre encara a Ponte Preta, no Heriberto Hülse, a partir das 19 horas, pela segunda fase da Copa do Brasil. O duelo renderá R$ 1,7 milhão aos cofres do clube vencedor.

A premiação milionária chegaria na hora certa em meio ao momento adverso em que o Tricolor Carvoeiro vive. Brigando contra o rebaixamento no Campeonato Catarinense e ocupando atualmente a lanterna da competição, o diretor de futebol Waldeci Rampinelli disse, ao anunciar o nome de Wilson Vaterkemper para a vaga de treinador, deixada pelo demitido Hemerson Maria, que o clube “não tem condições de fazer novas contratações agora.”

Em caso de classificação, a bonificação paga pela CBF traria ao clube um maior capital para formular a equipe para a disputa da Série C do Campeonato Brasileiro. No entanto, os obstáculos são nítidos. Além de enfrentar o maior jejum de vitórias da sua história, que já dura 179 dias, o adversário desta noite disputa a Série B e o Campeonato Paulista. A Ponte Preta é uma velha algoz do Tigre. Em 19 encontros, foram apenas duas vitórias carvoeiras, fato que não acontece desde 2004. A Macaca venceu 11, enquanto outros seis confrontos terminaram empatados.

“O importante é colocar na cabeça dos atletas que é possível, fazer eles acreditarem nisso. Nós temos algumas informações (sobre a Ponte Preta), não vou elencar nenhum fato expressivo deles, mas sim toda a equipe. É um time forte de Campeonato Paulista e precisamos estar preparados”, afirma o técnico Wilson Vaterkemper.

Vida nova

Além dos benefícios financeiros e de quebrar um tabu que já perdura desde outubro do ano passado, uma vitória hoje ainda pode trazer novos ares e marcar o princípio de uma reação no Catarinense. “Sempre é importante ganhar um jogo deste naipe. Eu acho que é um ponto muito favorável se conseguirmos essa vitória, porque deixa o jogador com a cabeça mais tranquila para desenvolver os trabalhos e na minha opinião pode sim influenciar”, destaca o comandante.

A escalação deve passar por mudanças em relação ao time que empatou com o Marcílio Dias no último domingo, porém Wilsão garante que as alterações não são por conta do próximo oponente. “Possivelmente vamos mexer, mas pela a nossa equipe e por aquilo que vimos no último jogo”, externa. “Nós vamos ser ofensivos quando der para ser ofensivos, quando não der, não vamos ser”, pontua Wilsão.

Nesta segunda fase, nenhum clube tem a vantagem do empate. Quem vencer avança, e em caso de igualdade, a disputa se dará nas penalidades. “Em relação aos pênaltis, sim, nós já treinamos ontem (terça-feira) e vamos treinar hoje (quarta-feira) de novo, até porque, também é uma possibilidade”, externa.

Torcedor está acostumado com batimentos acelerados

O Tigre, por sinal, já passou por fortes emoções nesta competição recentemente. Decidiu através dos pênaltis por três oportunidades, nesta mesma fase, de 2017 para cá, quando o regulamento atual passou a existir. Em 2017, após empate no tempo normal em 2 a 2 com o Altos-PI, avançou posteriormente. No ano seguinte, não teve a mesma sorte. Empatou com o Cianorte-PR em 1 a 1 e depois foi eliminado. Já em 2019, o drama voltou a ter final feliz. Em um 0 a 0 morno contra o Oeste-SP, a classificação para a terceira fase foi alcançada no sofrimento. Curiosamente, todos os confrontos ocorreram no Heriberto Hülse.

Como vem a Ponte

A Ponte Preta está sem entrar em campo há três semanas, já que o Paulistão foi paralisado por medidas restritivas do Governo de São Paulo para frear o avança da pandemia no Estado. A última partida foi disputada no dia 13 de março, na vitória contra o Botafogo-SP. A Macaca tinha 12 jogadores com teste positivo para a Covid-19, mas todos já estão recuperados.

O atacante Niltinho, ex-Criciúma, foi anunciado durante esta pausa e estará à disposição do técnico Fábio Moreno pela primeira vez. O meia Renan Mota e o atacante Paulo Sérgio, recuperados de lesões musculares, também foram relacionados e deverão ser opções no banco de reservas. “Estão voltando de um período de inatividade, então é tudo calculado para que não sofram problemas físicos novamente, aliando a necessidade técnica da participação deles na partida com a responsabilidade envolvendo a parte física”, detalha.

O treinador não poderá contar com o zagueiro Ednei, em recuperação de entorse no tornozelo, e com o meia Thalles, ainda em repouso após cirurgia na vista.

Na primeira fase a Macaca eliminou de virada o Gama-DF, por 2 a 1. Apodi e Thalles marcaram os gols. No Paulistão, a equipe é a terceira colocada do Grupo B, com quatro pontos em quatro partidas, atrás de São Paulo e Ferroviária-SP.

Copa do Brasil – 2ª Fase

08/04 (Quinta-feira) – 19 horas – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

Criciúma: Gustavo; Claudinho, Alemão, Philipe Maia e Hélder; Adenilson, Eduardo, Moacir e Dudu; Gabriel Silva e Pedrinho. Técnico: Wilson Vaterkemper

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Apodi, Luizão, Ruan Renato e Yuri; Barreto e Dawhan (Locatelli); Pedrinho, Camilo e Moisés; João Veras. Técnico: Fábio Moreno

Arbitragem: Paulo Cesar Zanovelli (MG). Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.