Tigre: Foco total no jogo contra a Chape

Com apenas um ponto somado, em seis disputados, Criciúma precisa vencer o Verdão do Oeste para respirar no Catarinense

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A primeira pressão para o técnico Hemerson Maria chega logo na terceira rodada do Campeonato Catarinense. Com um empate e uma derrota, o Criciúma precisa da primeira vitória no Estadual diante da Chapecoense, na quinta-feira, às 19 horas, no Majestoso. O técnico, como não poderia ser diferente, está preocupado e chateado com o início da campanha no Estadual. “É um início que sabíamos que seria difícil, principalmente por tudo que aconteceu: a formação do elenco todo novo. Mesmo assim, esperávamos resultados melhores”, comenta o treinador, se referindo aos jogos contra Hercílio Luz e Juventus.

O retrospecto recente diante da Chape não anima: são apenas três vitórias nos últimos 16 jogos entre as duas equipes. Entretanto, no encontro mais recente, pela semifinal do Estadual do ano passado, houve uma vitória do Criciúma: 1 a 0. A partida foi disputada no Majestoso em 5 de agosto. O gol do jogo foi marcado pelo volante Foguinho. Com o resultado, o confronto foi para os pênaltis, mas o Tigre acabou eliminado.

Nos demais jogos, desde 2015, início da gestão anterior do clube, foram 10 derrotas para a Chapecoense, além de três empates e apenas duas vitórias. “Seguimos de cabeça erguida, em busca dos resultados. Vamos dar moral para os atletas, conversar e não deixar bater o desespero. Se ganhássemos os dois primeiros jogos, também teríamos uma longa caminhada pela frente, então precisamos ter ‘pés no chão’. Eu sou um treinador experiente, conheço o campeonato e sei das dificuldades, mas sei também do que o meu elenco é capaz”, explica Hemerson Maria.

Expectativa pelo sistema de jogo

Após começar a primeira partida no 4-4-2, Maria optou por colocar o Criciúma com três zagueiros e três volantes diante do Juventus. Fica agora a dúvida para o time que começará a partida de quinta-feira, às 19 horas, no Majestoso. “A formação que nós entramos no primeiro tempo (contra o Juventus, com três zagueiros e três volantes) foi treinada na pré-temporada, em uma parte do jogo contra o Grêmio, e treinamos ontem (sexta-feira) porque poderia ser circunstancial. Foi um time um pouco mais forte na bola aérea e usando mais a ligação direta. No segundo tempo, com o gramado melhor, voltamos a usar o time que começou contra o Hercílio Luz e foi onde a equipe se sentiu melhor e criou as chances de gols”, pondera o treinador.

Os indícios dão conta de que o time voltará a jogar com quatro defensores, quatro meias e dois atacantes. A confirmação deve acontecer nos treinos de hoje e amanhã. Ontem, o elenco se reapresentou, no CT Antenor Angelonie fez trabalhos regenerativos e táticos sob comando da comissão técnica.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.