Tigre: Empenho e foco na Copa SC

Volante Léo Costa, que deve ser titular amanhã, diante do Caçador, garante que o elenco carvoeiro não faz distinção entre as competições disputadas


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

No momento em que entra na fase decisiva da Série C, o elenco do Criciúma precisa também dar foco e empenho na Copa Santa Catarina. Porém, para o volante Léo Costa, isso não é um problema. Pelo contrário, é uma oportunidade para os atletas, que estão jogando menos, terem ritmo de jogo. “A gente tem que aproveitar. Não importa que é a Copa Santa Catarina. Para nós não tem diferença alguma se é a Copa Santa Catarina ou a Série C. Estamos representando a camisa do Tigre, então, para nós é um privilégio, seja qual for a competição, qual o objetivo determinado”, diz.

Costa garante ainda que o objetivo é ser campeão da Copa Santa Catarina e conquistar a vaga na Copa do Brasil 2022. “Entramos na Copa Santa Catarina para vencê-la, porque é a única opção para conseguir a vaga na Copa do Brasil, então, estamos muito empenhados para ser campeão”, confirma. O próximo jogo na competição estadual é amanhã, às 15 horas, diante do Caçador, fora de casa.

O jogador não se considera decepcionado por estar jogando menos do que gostaria no Criciúma. “Jamais. Essa palavra não cabe no meu dicionário: decepção. Claro que eu queria jogar mais, esperava atuar mais, ter mais minutos, mas eu acredito que as coisas acontecem da maneira que tem que acontecer. Eu respeito demais os meus companheiros, acima de tudo, o meu treinador e a minha comissão”, comenta.

Em busca de evolução em campo

Leo procura ouvir atentamente as orientações do técnico Paulo Baier para melhorar em campo. Ele admite que, muitas vezes, ainda não executa os lances como gostaria, mas está em busca de evolução. “Eu tenho um respeito muito grande pelo Paulo (Baier), sempre o admirei bastante, como jogador, e tenho aprendido a entendê-lo como técnico. Eu tenho tentado melhorar, fazer o que ele pede. Sei que algumas coisas podem não satisfazê-lo tanto, mas eu tento compensar em outras. Eu acredito que esse equilíbrio, esse entendimento, é com o tempo”, ressalta.

O jogador não se considera individualista e pensa sempre no bem maior do time. “Tenho procurado me posicionar onde ele pede, fazer o que ele pede e as coisas da maneira que ele acha melhor para a equipe. Estou aqui para ajudar e não para pensar no meu ego, o Leo individualista. Estou aqui para ajudar o Criciúma, então, vou sempre fazer o que o Paulo Baier achar melhor para o Criciúma”, pontua.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.