- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Celso da Luz/CEC

O cenário estava montado: domingo de sol, arquibancadas lotadas, mas o Criciúma não conseguiu sair do 0 a 0 com o Ituano e decepcionou os mais de seis mil torcedores presentes no Majestoso. A frustração ficou estampada no rosto da torcida ao final da partida. Agora, o Tricolor Carvoeiro depende de uma combinação de resultados para chegar à Série B em 2022. A calculadora está na mão. O time precisa bater o Paysandu, no próximo sábado, e torcer contra o Botafogo-PB. A expulsão de Claudinho, no encerramento do primeiro tempo, complicou ainda mais a missão da equipe treinada por Cláudio Tencati. No final, nada de gols e situação ruim para o Tricolor Carvoeiro. O Ituano, por outro lado, com o resultado, garantiu uma das vagas para a Série B

Em um domingo ensolarado e com o Majestoso praticamente lotado, dentro dos limites permitidos pelos órgãos de saúde, em virtude da pandemia da Covid-19, o Criciúma começou o jogo buscando o ataque e pressionando o Ituano. No primeiro minuto de jogo, Silvinho fez boa jogada pela esquerda, com direito à caneta no adversário, e foi derrubado. Falta. Na cobrança, a zaga afastou. O Criciúma errava alguns passes e demonstrava certo nervosismo. Aos sete minutos, Claudinho fez falta forte em Gerson Magrão e levou cartão amarelo. Na cobrança ruim do camisa 10 do Ituano, a zaga afastou mal e João Victor pegou a sobra e finalizou com perigo pela linha de fundo. Apesar do maior volume de jogo e pressão do Tigre, a primeira chance foi dos paulistas. No minuto seguinte, Gerson Magrão finalizou da intermediária, mas a bola subiu. O time treinado por Mazola Júnior começava a sair para o ataque.

Fechado na defesa, o Ituano começava a complicar a saída de bola do Tigre. Muito bem marcado, Silvinho pouco conseguia construir no ataque carvoeiro. Aos 13 minutos, Claudinho cruzou rasteiro, mas Mateus Silva afastou antes de Henan, que poderia completar para o gol. Dois minutos depois, Henan fez boa jogada pela direita e cruzou para Fellipe Mateus que desviou de cabeça e a bola saiu perto da trave de Pegorari. Primeiro lance de perigo do Tricolor Carvoeiro. Aos 18 minutos, o Ituano errou a saída de bola, Bruno Lima perdeu para Fellipe Mateus, que foi derrubado quase na linha da grande área pela esquerda. Falta perigosa para o Tigre. Silvinho bateu pela linha de fundo.

Aos 21 minutos, após pressão do Tigre, Léo Costa bateu forte e Pegorari pegou firme em um lance perigoso. O time treinado por Cláudio Tencati tentava pressionar os paulistas. Aos 26 minutos, João Victor fez boa jogada pela direita e chutou em cima de Marcel Scalese. Escanteio. Após a cobrança, a bola sobrou para Tiago Marques que iria finalizar, mas Claudinho chegou na hora e fez um desarme providencial salvando o Criciúma. Aos 29 minutos, Eduardo foi derrubado de forma grave por Igor Henrique. Falta perigosa para o Tigre e amarelo para o jogador do Ituano. Na cobrança, jogada ensaiada, mas Eduardo chutou no adversário.

Aos 36 minutos, Gerson Magrão cobrou escanteio e Tiago Marques subiu de cabeça e desperdiçou uma grande chance. A partir daí, o Ituano tentou mais o ataque. Aos 43 minutos do primeiro tempo, já com a bola parada, Claudinho deu uma solada em Rhuan, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. A torcida do Criciúma, inconformada, passou a xingar mais o árbitro Rodolpho Toski Marques. Aos 49 minutos, Igor Henrique, do Ituano, que já tem cartão amarelo, fez outra falta forte e os jogadores do Criciúma pediram a expulsão do adversário, o que não aconteceu. O final do primeiro tempo foi tumultuado.

Alguma pressão e nada de gols

O Tigre voltou na pressão. No primeiro minuto do segundo tempo, Hygor, que entrou no intervalo, fez boa jogada pela direita e cruzou para Dudu Vieira, que fechou na área, mas não alcançou. A zaga colocou para escanteio. Na cobrança, Helder finalizou para fora. Aos três minutos, Jiménez derrubou Silvinho na esquerda. Falta. O mesmo camisa 11 bateu forte, Pegorari defendeu parcialmente, Alemão bateu mal, mas a bola chegou na cabeça de Marcel Scalese, que desperdiçou a chance.

Aos seis minutos, Helder fez falta forte em Pacheco e o árbitro Rodolfo Toski Marques foi para o VAR revisar o lance. Após a visualização, o juiz deu cartão amarelo para o lateral esquerdo do Criciúma. Na etapa final, o Tigre sofreu mais para chegar ao ataque, em função do jogador a menos em campo. Mesmo com mais posse de bola, o Criciúma não conseguia finalizar. Já o time paulista buscava os contra-ataques.

Aos 20 minutos, Kaio avançou e finalizou mal. Foi o primeiro chute do Ituano no segundo tempo. No minuto seguinte, lance perigoso do time paulista: Mateus Silva cabeceou, após cobrança de escanteio, e a bola saiu perto do travessão. Aos 23 minutos, Silvinho bateu escanteio, Eduardo desviou e Fellipe Mateus cabeceou pra fora, perdendo uma chance clara de gol.

O Tigre tentava o ataque, mas, fechado, o Ituano se segurava bem. A partir dos 30 minutos, os jogadores carvoeiros começaram a apresentar desgaste e erravam muitos passes. Assim, os lances de ataque ficavam mais raros. Aos 37 minutos, o Ituano chegou ao ataque.  Aos 40 minutos, após três escanteios seguidos, a zaga do Ituano afastou a bola.

Aos 46 minutos, Hygor foi lançado na área e quando se preparava para marcar, Mateus Silva colocou para escanteio. Na cobrança, a zaga tirou. No final, um 0 a 0 frustrante para o Criciúma.

Campeonato Brasileiro – Série C – segunda fase – 5ª Rodada

Domingo (31/10) – 16 horas – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

CRICIÚMA

Gustavo; Claudinho, Rodrigo, Marcel Scalese e Helder (Pedro Rosa); Léo Costa (Alemão), Dudu Vieira (Eduardo Melo), Eduardo e Fellipe Mateus (Arilson); Silvinho e Henan (Hygor). Técnico: Cláudio Tencati

ITUANO

Pegorari; Pacheco, Mateus Silva, Matheus Mancini e Rhuan (Iago Teles); Bruno Lima (Kaio), Igor Henrique (Jiménez) e Gerson Magrão; João Victor (Fernandinho), Tiago Marques e Lucas Nathan (Bernardo). Técnico: Mazola Junior

Arbitragem: Rodolpho Toski Marques; Auxiliares: Bruno Boschilia e Sidmar dos Santos Meurer (trio do PR). Árbitro de Vídeo: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS). AVAR: Lucio Beiersdorf Flor (RS) e Observador de VAR: José Antônio Chaves Franco Filho (RS)

Gols: Não houve

Cartões Amarelos: Claudinho, Léo Costa, Helder e Arilson (C); Bruno Lima, Igor Henrique, João Victor, Pacheco, Lucas Nathan e Kaio (I)

Cartões Vermelhos: Cláudinho (C);

Público: 6.577

Renda: R$ 109.720,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.