Próspera: Paulo Baier lamenta gol sofrido no final

Técnico do Próspera sai frustrado da derrota para o Joinville, no último minuto, e admite que contava com um empate diante do JEC

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Tubarão

- PUBLICIDADE -

O técnico Paulo Baier lamentou a forma como o Próspera foi derrotado para o Joinville, na tarde desta quinta-feira. Ele admitiu desatenção da equipe e que o resultado foi ruim. “Tomamos um gol faltando um minuto, em uma desatenção da nossa equipe. Acredito que, no primeiro tempo, fizemos um bom jogo, criamos algumas chances. No segundo tempo, o Joinville foi melhor, mas, para nós, estava de bom tamanho o empate, em relação ao que a gente pretende dentro do campeonato. Infelizmente, no último lance, a gente não conseguiu evitar e tomamos o gol”, diz.

O treinador evitou nomear os culpados pela derrota. “Quando toma o gol, é todo mundo. Não adianta só a zaga, é geral. Quando perde, perde todo mundo. Não tem porquê a gente culpar individualmente. Claro que a gente vai analisar amanhã o gol e mostrar para a gente corrigir”, comenta.

O equilíbrio do jogo foi determinado pela forte marcação de ambos os lados. “A marcação deles estava pesada, como a nossa também é. O camisa 10 deles também não criou nada. Foi um lance de descuido nosso que aconteceu esse resultado. Temos que melhorar e mostrar os erros aos jogadores para corrigirmos isso e não acontecer no próximo jogo”, comenta.

Com pouco tempo até o jogo de domingo, diante do Hercílio Luz, Baier trabalhará mais na conversa com os atletas. “Agora é levantar o ânimo. A tristeza é muito grande no vestiário. Isso é normal: os jogadores sentirem. Foi um baque sofrer o gol no último minuto. Todo mundo se dedica, corre e toma o gol no último minuto, claro que dá um baque. Agora é momento da Comissão Técnica levantar a cabeça dos jogadores e temos que descansar. Vamos ver uma situação melhor para jogar contra o Hercílio”, finaliza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.