Nova derrota fora de casa do Tigre na Série C

Diante do penúltimo colocado, Paraná Clube, o Criciúma é presa fácil, perde por 2 a 1 e desperdiça chance de encaminhar a vaga para a próxima fase. Com muitos erros de passes, time treinado por Paulo Baier não tem boa atuação em Curitiba

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Curitiba/PR

- PUBLICIDADE -

Fotos: Celso da Luz/CEC

Um famoso ditado criciumense, utilizado em situações de má fase do Tigre, especialmente em jogos fora de casa, voltou a fazer sentido na noite deste sábado: “O Criciúma, passou da Vila Nova (referência ao bairro de Içara, que liga a região à BR-101), não ganha de ninguém”. Mesmo diante do penúltimo colocado, o Paraná Clube, o time treinado por Paulo Baier perdeu, na noite deste sábado, por 2 a 1 no estádio Durival de Britto, na Vila Capanema, em Curitiba. Com muitos erros de passes e na saída de bola, o Criciúma foi um adversário fácil de ser batido. Eberê e Gustavo França marcaram os gols do Paraná, na primeira etapa. No final da partida, de pênalti, Fellipe Mateus diminuiu e incendiou a partida. Porém, não deu tempo para o empate. Assim, o Tricolor Carvoeiro ainda não consegue encaminhar a vaga à próxima fase da Série C. Mesmo assim, segue na terceira posição do grupo B. Agora, restam dois jogos em casa e um fora para a conclusão da primeira fase da competição. A situação ainda é confortável, mas o sinal amarelo acendeu.

Devido a salários atrasados, os jogadores do Paraná ameaçaram não entrar em campo, mas, depois de uma breve negociação com a diretoria do clube paranaense, resolveram subir para o gramado. A partida iniciou com sete minutos de atraso.

Em um esquema tático, de certa forma, surpreendente, com três meias e três atacantes, o Criciúma começou buscando o ataque. No primeiro minuto, Silvinho fez boa jogada pela direita, tocou para Fellipe Mateus, mas a zaga afastou parcialmente. Na sobra, Claudinho cruzou e Maranhão cabeceou mal, pela linha de fundo. Maranhão aparecia pela esquerda e Silvinho na direita, em posições invertidas em relação aos jogos anteriores. O principio do jogo foi totalmente favorável ao Criciúma. O Tricolor Carvoeiro pressionava, enquanto o Paraná estava encolhido na defesa. Aos cinco minutos, novamente Claudinho cruzou e Fellipe Mateus cabeceou mal, alto, pela linha de fundo. Nova jogada pelo lado direito de ataque do Tigre.

A primeira jogada de ataque do Paraná aconteceu aos seis minutos quando Eberê entrou pela esquerda e chutou forte, mas a bola bateu em Marcel Scalese e saiu pela linha de fundo. Gustavo França cobrou e a zaga tirou. Aos oito minutos, Helder fez jogada pela esquerda e Silvinho tentou a finalização, sem sucesso – pela linha de fundo. O Tigre tinha mais volume de jogo e ameaçava mais o time paranaense, porém, acabou sendo punido por erros da defesa.

Aos 12 minutos, Silvinho errou a saída de bola e Gustavo França entrou pela esquerda e bateu forte para grande defesa de Gustavo, que salvou o Criciúma. No minuto seguinte, nova bobeada da defesa do Criciúma, Bryan fez boa jogada pela esquerda, após disputa de cabeça, Helder marcou de longe e Eberê finalizou forte para abrir o placar: 1 a 0 para o Paraná. O Criciúma tinha mais volume de jogo, mas em falhas de marcação acabou permitindo o gol do adversário.

Aos 17 minutos, Eberê, empolgado pelo gol, fez nova boa jogada pela esquerda e depois tocou para Gustavo França que bateu forte para a defesa de Gustavo. A partir daí, o Tigre intensificou mais as jogadas de ataque, mas sem conseguir concluir efetivamente ao gol. Aos 22 minutos, Maranhão fez boa jogada pela esquerda e cruzou, mas Alex Murici tirou antes que Fellipe Mateus pudesse completar para o gol. Aos 23 minutos, outra grande jogada de Maranhão, que estava pela direita, para Silvinho, que não conseguiu marcar. A bola pegou na zaga. Na sobra, Claudinho fez outro bom lance pela direita e cruzou para Marcão, que vacilou, deixou a bola passar por baixo das pernas e não conseguiu empatar. Aos 24 minutos, o Paraná levou perigo, em vacilo de Dudu Vieira e Claudinho, mas Rodrigo colocou para escanteio. Na cobrança, Leo Pettenon girou e chutou pela linha de fundo, longe da trave de Gustavo.

Aos 27 minutos, mais uma vez Eberê, o grande nome do jogo, até o momento, fez grande jogada, mas Vinícius Moura não conseguiu marcar. O Criciúma sentiu o gol sofrido e errava muitos passes pelo meio e na saída de bola. Aos 30 minutos do primeiro tempo, um lance preocupante: Vinícius Moura, que havia se chocado de cabeça com Silvinho, caiu no gramado e foi levado para a ambulância. O jogador foi substituído por Danilo. No minuto seguinte, Helder errou a saída de bola, o Paraná puxou o ataque, Gustavo França recebeu cruzamento da direita e ampliou o placar: 2 a 0 para o Paraná, complicando e muito a vida do Criciúma na partida.

Aos 34 minutos, Helder cruzou da esquerda, Marcão tentou alcançar a bola, após cruzamento, mas não conseguiu cabecear. No minuto seguinte, após cruzamento da direita, o camisa 9 do Criciúma marcou o gol, após bola na área, mas o árbitro invalidou, marcando falta de ataque. Aos 40 minutos, Rodrigo avançou pelo meio, na intermediária, e bateu forte, mas a bola subiu e saiu pela linha de fundo. Nos acréscimos, Marcão desperdiçou nova chance: Helder cruzou e Bruno Grassi pegou o cabeceio do camisa 9 do Tigre, em uma grande defesa, de mão trocada. No rebote, o árbitro marcou falta de ataque no goleiro paranista. O primeiro tempo encerrou com o Tigre desperdiçando muitos passes e errando a saída de bola, algo que normalmente não vinha acontecendo.

Segundo tempo com alterações, mas apenas nos nomes

Na etapa final, com substituições, o Criciúma buscou, inicialmente, diminuir o placar. Gabriel Henrique pela direita e Minho pela esquerda tentavam jogadas pelos lados do campo. Aos cinco minutos, Eberê passou por Rodrigo, dominou a bola e tentou finalizar, mas a bola saiu pela linha de fundo. O camisa 9 do Paraná era, disparado, o melhor em campo e levava muito perigo à defesa carvoeira. Aos sete minutos, Eduardo tocou para Minho, que foi derrubado por Alex Murici. Falta. Fellipe Mateus bateu rasteiro, no canto, mas Bruno Grassi, ex-goleiro do Tigre, pegou com facilidade. Aos 12 minutos, novamente o camisa 10 do Criciúma finalizou, mas em cima da marcação. O Tricolor Carvoeiro não conseguia ameaçar o gol de Bruno Grassi com perigo.

Aos 16 minutos, após uma bola disputada na área, Eduardo discutiu com os adversários, mas o árbitro acalmou os ânimos. Dois minutos depois, após passe de Fellipe Mateus, Marcão recebeu na área, driblou o zagueiro, mas bateu para fora. A bola saiu alta. Nova chance desperdiçada pelo camisa 9 do Tigre. Foi o último lance dele em campo. Henan entrou para fazer a estreia pelo Criciúma. Aos 25 minutos, o camisa 19, estreante, fez boa jogada pela esquerda de ataque do Tigre e bateu forte para boa defesa de Bruno Grassi.

Aos 32 minutos, o Criciúma seguiu atacando, mas sem grandes perigos. Fellipe Mateus finalizou e a bola saiu pela linha de fundo. Três minutos depois, o camisa 10 do Criciúma teve nova chance, mas Bruno Grassi, de mão trocada, fez outra grande defesa. O lance do jogo para o Criciúma, que teve a intervenção fantástica do camisa 1 do Paraná.

Após a entrada de Dudu Figueiredo, o Criciúma passou a trocar mais passes no ataque, tentou diminuir com boas jogadas de Minho e Fellipe Mateus, em bolas paradas. Aos 41 minutos, Alex Murici foi expulso. Dois minutos depois, após cruzamento na área de Eduardo, Minho cabeceou, a bola bateu na mão do zagueiro na área e o juiz marcou pênalti. Fellipe Mateus cobrou e diminuiu: 2 a 1. Um minuto depois, Dudu Figueiredo cobrou escanteio, Helder cabeceou e Bruno Grassi fez nova grande defesa, salvando o Paraná e garantindo o resultado. No final, nova derrota do Criciúma fora de casa pela Série C.

Campeonato Brasileiro – Série C – 15ª Rodada

Sábado (04/09) – 19 horas – estádio Durival de Britto, em Curitiba (PR)

PARANÁ

Bruno Grassi; Alex Murici, Luan, Vinícius Guarapuava e Bryan (Lucas Sene); Leo Pettenon (Mikael), Moisés Gaúcho e Sillas; Gustavo França, Eberê (Janderson) e Vinícius Moura (Danilo). Técnico: Jorge Ferreira

CRICIÚMA

Gustavo; Claudinho, Rodrigo, Marcel Scalese e Helder; Dudu Vieira (Eduardo), Arilson (Dudu Figueiredo) e Fellipe Mateus; Maranhão (Gabriel Henrique), Marcão (Henan) e Silvinho (Minho). Técnico: Paulo Baier

Arbitragem: Rafael Martins de Sá; Auxiliares: Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha e Silbert Faria Sisquim

GOLS: Eberê (13/1T) e Gustavo França (31/1T); Fellipe Mateus (44/2T) (C)

Cartões Amarelos: Alex Murici, Vinicius Guarapuava, Paranhos (no banco), Gustavo França e Bruno Grassi (P);

Cartões Vermelhos: Alex Murici (P)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.