Jogo entre Brasil e Argentina é suspenso pela Anvisa

Clássico pelas Eliminatórias é paralisado em função do descumprimento de regras sanitárias por quatro jogadores argentinos


- PUBLICIDADE -

São Paulo

O confronto entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, teve apenas seis minutos de bola rolando. E entrou para a história. Mas não pelo jogo em si. O clássico na Neo Química Arena, em São Paulo, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, foi suspenso pela arbitragem depois de agentes da Anvisa e da Polícia Federal paralisarem a partida ainda no primeiro tempo. O motivo: quatro jogadores argentinos violaram regras sanitárias ao entrar no país sem comunicar que passaram pela Inglaterra, onde jogam. Eles deveriam ter feito quarentena, medida preventiva à disseminação da Covid-19.

- PUBLICIDADE -

Os jogadores são o goleiro Emiliano Martinez, os meia Emiliano Buendia e Giovani Lo Celso e o zagueiro Cristian Romero. Os quatro atuam na Inglaterra. A bola estava rolando e o jogo foi paralisado. Em seguida, todos jogadores da Argentina saíram e foram para o vestiário. Os quatro jogadores da Argentina foram ameaçados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de deportação, mas mesmo assim seguiram para o jogo. A Conmebol e a CBF entraram em contato com Governo Federal para administrar a situação.

Em conversa entre Tite, Lionel Scaloni (auxiliar técnico da Argentina), Messi, Neymar e outros jogadores, o craque argentino dizia, já de colete: “Por que não autuaram antes?” Em entrevista à TV Globo, o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Nunes, explicou o caso. “São quatro jogadores. Eles, ao chegarem em território nacional, apresentam a declaração de saúde do viajante. Neste documento não falava que eles passaram por um dos três países que estão restritos, justamente para a contenção da pandemia. Mas depois foi constatado que eles passaram pelo Reino Unido. Foi constatado entre ontem de noite e hoje. Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entram em campo, há uma sequência de descumprimentos”, explica Nunes. O protocolo de Covid-19 teve aceite de todos países que participam das competições da Conmebol – como Libertadores, Sul-Americana e, claro, Eliminatórias.

A portaria nº 655, de 23 de junho de 2021, estabelece regras para a entrada de estrangeiros no Brasil durante a pandemia de Covid-19, e diz o seguinte:” O viajante que se enquadre no disposto no art. 3º, com origem ou histórico de passagem pelo Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, pela República da África do Sul e pela República da Índia nos últimos quatorze dias, ao ingressar no território brasileiro, deverá permanecer em quarentena por quatorze dias”.

A Conmebol, em comunicado, disse que a competição é organizada pela Fifa e que a entidade decidirá os próximos passos depois da Comissão Disciplinar receber um informe do árbitro e do delegado da partida. Não há informações confirmadas sobre nova data ou eventual perda de pontos para alguma das seleções. O jogo estava 0 a 0 quando foi suspenso.

Os jogadores do Brasil fizeram um “rachão” em campo para não configurar abandono de jogo. A seleção volta a campo na quinta-feira, às 21h30, diante do Peru, na Arena Pernambuco.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.