- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Ribeirão Preto/SP

- PUBLICIDADE -

Fotos: Celso da Luz/CEC

Longe do Majestoso, o Tigre conheceu a primeira derrota na Série C do Brasileirão em 2021. Na noite de ontem, em Ribeirão Preto, o time perdeu por 3 a 1 para o Botafogo-SP e desperdiçou a chance de voltar à liderança do grupo B da competição. O Criciúma segue na segunda colocação da chave com 14 pontos, porém, vê o adversário, quinto colocado, encurtar a distância para dois pontos de diferença.

Essa foi a primeira derrota de Paulo Baier no comando técnico do Criciúma. Na primeira etapa, aos 17 minutos, a defesa do Tigre deu bobeira, Neto Pessoa avançou pela direita e bateu forte: a bola bateu em Marcel Scalese e entrou: 1 a 0. O time paulista ampliou a vantagem em uma grande cobrança de falta de Rodrigo. O Criciúma pagou na mesma moeda e descontou com um golaço de Fellipe Mateus, também da intermediária em bola parada. Na etapa final, o Tigre bem que tentou empatar, demonstrou coragem, pressionou o adversário, mas acabou sofrendo o terceiro gol aos 48 minutos com Rafael Tavares. No final, 3 a 1 para o Botafogo. O próximo desafio será no sábado, às 11 horas, diante do Mirassol, em confronto que ganhou ainda mais caráter de decisão.

O Botafogo começou a partida buscando o ataque, mas o Tigre também não ficou acoado e buscava a meta defendida por Igor Bohn. Aos três minutos, Helder cruzou da esquerda, Luiz Paulo fez o pivô e tocou para Dudu Figueiredo, que arriscou de fora da área, mas a bola saiu. O Criciúma mostrava as credenciais do time de Paulo Baier no início da partida. Quando o time paulista tinha a bola, o Tricolor Carvoeiro marcava todo atrás da linha do meio campo e tentava não dar chances ao Botafogo. A partida estava equilibrada até os 10 minutos.

Aos 12 minutos, Fellipe Mateus fez boa jogada, da esquerda para o meio, e bateu forte para a defesa de Igor Bohn. No rebote, Luiz Paulo tentou finalizar, mas estava impedido. A primeira chegada forte da partida foi do Tigre. O Botafogo deu resposta aos 14 minutos com Gustavo Xuxa. O camisa 10 deixou Eduardo e Dudu Vieira para trás e finalizou forte, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Aos 17 minutos, a lado direito do Tigre deu bobeira, Walter fez a parede e tocou para Neto Pessoa, que entrou livre, nas costas de Alemão, e bateu forte, a bola bateu em Marcel Scalese e entrou. Gol contra e 1 a 0 para o Botafogo. Aos 21 minutos, Dudu Figueiredo deu um grande lançamento para Hygor e o bandeirinha marcou impedimento, mas o atacante do Tigre parecia em posição legal. Lance discutível. Luiz Paulo estava no lance e estava em posição ilegal, porém, não fez menção direta de ir ao lance.

Aos 25 minutos, Dudu Figueiredo cobrou escanteio, mas a bola passou por Hygor que não alcançou e desperdiçou uma chance de empatar. Aos 30 minutos, Dudu Figueiredo fez uma falta forte em Ariel. Falta pela direita de ataque. Gustavo Xuxa bateu direto, forte, a bola desviou em Helder e obrigou Gustavo a fazer uma grande defesa. Aos 33 minutos, Rodrigo, lateral direito do Botafogo, cobrou uma falta fortíssima da intermediária e marcou um golaço: 2 a 0 para o time do interior paulista. A resposta do Tigre veio de imediato: Hygor foi derrubado por Gustavo Xuxa. Falta na intermediária. Fellipe Mateus cobrou também com maestria e descontou: 2 a 1 aos 36 minutos. A partir daí, o Tricolor Carvoeiro buscou o gol de empate. Aos 43 minutos, Dudu Figueiredo bateu forte, na intermediária, mas Igor Bohn fez uma grande defesa. Momento do Tigre na reta final da primeira etapa, mas o time foi com desvantagem para o intervalo.

Pressão total, na etapa final, mas sem sucesso

Na segunda etapa, só deu Criciúma. Aos quatro minutos, Helder fez boa jogada pela esquerda e cruzou forte, mas Luiz Paulo cabeceou pela linha de fundo. O Tigre marcava mais alto, no campo do Botafogo, e tentava encurtar o espaço para buscar o empate. O Criciúma ia com tudo para cima. Aos sete minutos, Eduardo apareceu pela esquerda e cruzou, mas Pará colocou para escanteio. Pressão do Tricolor Carvoeiro. Aos oito minutos, o técnico Paulo Baier tirou Eduardo e colocou Maranhão, mudando o esquema tático e deixando o time mais ofensivo. Foram 10 minutos de pressão do Criciúma no começo da etapa final.

O Tricolor Carvoeiro encurralou o Botafogo no próprio campo, em busca do empate, e o time paulista apenas dava balão para frente e tentava se defender.  Aos 20 minutos, o time paulista conseguiu chegar pela primeira vez, na etapa final, com a finalização de Neto Pessoa. O Criciúma era superior em campo, tinha mais volume de jogo, mas não conseguia transformar a superioridade em chances de gols.

Aos 22 minutos, em alta velocidade, Gabriel Henrique arrancou pela direita e cruzou, mas Fellipe Mateus não conseguiu empatar. No minuto seguinte, Helder foi derrubado pela esquerda. Falta quase na entrada da área. Na cobrança de Dudu Figueiredo, a zaga afastou e Gabriel Henrique pegou o rebote e chutou pela linha de fundo. Aos 31 minutos, o Criciúma errou a saída de bola, Bruno Santos cruzou e Hélio Paraíba não alcançou. Uma das raras chegadas do time de Ribeirão Preto, na etapa final. Aos 38 minutos, após um bate e rebate na área, Alemão finalizou com força, mas a bola bateu na zaga e Igor Bohn colocou pela linha de fundo. Os últimos minutos foram de pressão intensa do Tigre, mas sem sucesso. Aos 48 minutos, Bruno Santos fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Rafael Tavares que fez 3 a 1. No final, a primeira derrota carvoeira na Série C 2021.

 

Campeonato Brasileiro – Série C – 7ª Rodada

12/07 (segunda-feira) – 20 horas – estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto

BOTAFOGO-SP

Igor Bohn; Rodrigo, Yan Victor, Diego Guerra e Pará; Caetano, John Everson e Gustavo Xuxa (Rafael Tavares); Ariel (Marlon), Neto Pessôa (Hélio Paraíba) e Walter (Bruno Santos). Técnico: Argel Fucks

CRICIÚMA

Gustavo; Alemão, Rodrigo, Marcel Scalese e Helder; Dudu Vieira, Eduardo (Maranhão), Dudu Figueiredo e Fellipe Mateus (Uilliam Barros). Hygor (Gabriel Henrique) e Luiz Paulo (Marcão). Técnico: Paulo Baier.

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo; Auxiliares: Kleber Alves Ribeiro e Lucas Torquato Guerra (trio do DF).

GOLS: Marcel Scalese (contra) (17/1T) e Rodrigo (33/1T) (B); Fellipe Mateus (36/1T) (C)

Cartões Amarelos: Dudu Figueiredo e Hygor (C); Gustavo Xuxa, Walter, Yan Victor, Bruno Santos, Caetano e Rafael Tavares(B)

Cartões Vermelhos: Não houve

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.