Criciúma: Liderança no ranking estadual de tênis

Atleta da equipe Mampituba/FME Criciúma, Ana Flávia Daros Espíndola está invicta nas categorias infanto-juvenil 14 anos feminino e classes 3F1

- PUBLICIDADE -

Criciúma

A equipe de tênis Mampituba/FME Criciúma participou da terceira etapa do Torneio Estadual de Classes, em Florianópolis, e voltou para casa com resultados positivos. O evento ocorreu, em Florianópolis, e contou com cerca de 460 inscritos de todo o estado, sendo cinco representantes do clube. Mais uma vez, a atleta Ana Flávia Daros Espíndola foi campeã na categoria, mantendo-se invicta na competição estadual.

- PUBLICIDADE -

Ela fez dobradinha na final da categoria 3F1 com a tenista Laura Pedrotti, que foi vice-campeã. A mesma situação ocorreu na etapa anterior do torneio, ocorrida no mês de maio, em Joinville. O atleta Antônio Horr também foi vice-campeão na categoria PM1. Os três fazem parte da equipe Mampituba/FME Criciúma.

O torneio foi promovido pela Federação Catarinense de Tênis (FCT). “A Ana Flávia ratificou a sua boa fase sendo novamente campeã e lidera o ranking estadual nas categorias infanto-juvenil 14 anos feminino e classes 3F1. Ela ainda não perdeu nenhum jogo nas cinco etapas que disputou neste ano. O resultado dela e dos outros atletas são excelentes para o nosso clube”, comenta o técnico Fernando Alves, que acompanhou a equipe na capital.

O desafio seguinte será no próximo fim de semana, na terceira etapa do Torneio Regional, em Criciúma. A Fundação Municipal de Esportes (FME) de Criciúma é parceira da equipe de tênis do Mampituba, a qual é integrante do projeto de formação de atletas que o clube mantém por meio de convênio, através de editais, com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.