Criciúma: Jovem tenista entre as dez melhores do Brasil

Giovanna Ventura Aude, integrante da equipe de rendimento da S.R. Mampituba/FME Criciúma iniciou na modalidade por brincadeira e agora sonha em ser profissional


- PUBLICIDADE -

Criciúma

Estar entre os 10 melhores do Brasil em um esporte não é tarefa fácil. Foi com muito esforço e treinos diárias que Giovanna Ventura Aude, de 12 anos, conseguiu este feito. A tenista da equipe de rendimento da S.R. Mampituba/FME Criciúma terminou o ano na 9º colocação do ranking da Confederação Brasileira de Tênis (CBT) na categoria 12 anos.  Além disso, a tenista foi campeã do Estado ficando em primeiro lugar no ranking estadual da mesma categoria da Federação Catarinense de Tênis (FCT). “Não tem nem palavras para expressar, foi uma coisa que aconteceu assim, do nada. Foi muito treino e dedicação e aí chegou nesse caminho. Um caminho não tão longo, mas deu trabalho”, comemora a atleta.

- PUBLICIDADE -

A paixão pelo esporte começou ainda em Curitiba (PR) de onde ela é natural. “Uma amiga convidou para um dia do amigo na escola dela, topei, fui lá e comecei. Achei legal e fazia uma vez por semana para me divertir”, conta.  Com a mudança da família para Criciúma, o que começou como brincadeira foi se intensificando. Primeiramente, com treinos duas vezes por semana, depois quatro vezes e vieram os primeiros torneios.

Há um ano, Giovanna entrou para o projeto de Formação da Atletas do Mampituba, em parceria com a Fundação Municipal de Esporte (FME) de Criciúma e o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC). “Quando vim para o Mampituba acabei percebendo que esse era meu esporte. Que queria ser uma tenista profissional e que levava jeito”, ressalta. “Vou para todos os campeonatos que consigo e sempre tento ganhar”, comenta Giovanna.

Resultado obtido com grandes conquistas

Ficar entre as 10 melhores do país na categoria até 12 anos foi um resultado que veio através de grandes conquistas. Jogando no simples ou em dupla foram quatro vice-campeonatos conquistados e um título em etapas do Brasileiro. Troféu conquistado no simples na terra natal de Giovanna, em Curitiba (PR), na Copa Instituto Ícaro DM Tênis da CBT. “Foi muito emocionante, porque, realmente não esperava. Não era meu plano de ser campeã brasileira. Ia nos torneiros para pegar experiência. Só que a evolução foi muito grande”, explica a tenista.

Evolução esta proporcionado pela estrutura oferecida pelo Mampituba. São 15 quadras de tênis, academia de musculação totalmente modernizada, fisioterapia, entre outros. “Clube é excepcional. Adoro jogar aqui”, comenta.

Na próxima temporada, ela irá disputar a categoria 14 anos. “Talvez não ganhe tantos campeonatos assim, mas vou dar tudo de mim e tentar, claro, ganhar”, projeto a tenista. Quanto ao futuro, Giovanna está focada em um objetivo: “Quero ser uma tenista profissional”, finaliza. Para isso ela treina todos os dias e faz duas vezes por semana um treino físico na academia do clube.

Para o técnico da equipe, Rodrigo Canuto, a tenista tem muito potencial. “Tem um longo caminho a trilhar ainda. É um grande começo de trabalho acreditamos que os próximos anos serão ainda melhores”, comenta o técnico.

Um projeto recheado de talentos

Além de Giovanna, o projeto de formação de atletas do Mampituba/FME Criciúma tem revelado grandes talentos. Um deles é a tenista Ana Flávia Espíndola. Disputando a categoria 14 anos, este ano, a tenista foi campeã geral da categoria ficando na 1º colocação do Ranking Estadual da FCT. Além disso, Ana ficou em 1º lugar no Ranking Estadual da 3ª classe Feminino até 34 anos da Federação Catarinense. “Alguns resultados já esperávamos que iriam acontecer quando retornassem os torneios. Foi o caso da Giovana e da Ana Flávia. A Giovana fez três finais de Brasileiro no simples, mais duas finais de duplas. Estamos no quinto ano de projeto e não tínhamos ainda chegado a uma final de brasileiro”, comenta o técnico. “Ana no primeiro ano da categoria 14 anos fez duas semifinais de duplas no Sul-Americano e foi campeã estadual. Cremos que ano que vem ela terá resultados melhores ainda”, projeta Canuto.

 

Para a próxima temporada, o técnico acredita que os grandes resultados seguirão ocorrendo. “Ana vai estar no ano bom da categoria dela de 14 anos. Giovanna sobe de categoria e irá para a mesma da Ana. Temos ainda o Felipe Paine que será o ano bom dele no 12 anos, acreditamos muito nos resultados dele, da mesma forma o Leonardo Belatto que está se destacando no projeto. Acreditamos que teremos bons frutos”, analisa o técnico.

Atualmente, o projeto conta com 35 atletas de rendimento e 45 alunos da escolinha de tênis do Mampituba. Além de Canuto, integram a equipe os técnicos Luiz Fernando Fernandes, Fernando Alves e Edlyn Mendes. “Esses resultados são fruto do trabalho desenvolvido por toda nossa equipe, juntamente, com a Fisioterapia e todos os setores. Bem como a estrutura ofertada pelo nosso clube, o Mampituba”, finaliza o técnico da equipe.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.