Baier garante que Tigre irá se classificar

Treinador pede calma e tranqüilidade aos torcedores, mesmo com a derrota diante do Paraná, e assegura presença do Criciúma na próxima fase da Série C


- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Curitiba/PR

- PUBLICIDADE -

O técnico Paulo Baier garante: o Criciúma vai se classificar para a próxima fase da Série C. Mesmo com a derrota deste sábado para o Paraná, por 2 a 1, em Curitiba, o comandante carvoeiro pede tranqüilidade e calma aos torcedores. Isso porque o time ainda tem dois jogos em casa, na primeira fase da competição, onde, segundo o treinador, o Tigre é muito forte. “Eu sei que o torcedor está meio preocupado, mas precisamos ter calma. Temos dois jogos em casa e a gente é muito forte dentro de casa. Precisamos ,daqui a pouco, só mais uma vitória para classificar. Então, tem dois jogos para a gente definir a nossa situação. O objetivo nosso é classificar. Não deu hoje, mas temos dois jogos em casa. Precisamos ter calma e tranqüilidade que o Criciúma vai classificar. Com o Criciúma é assim mesmo: sofrido, é na dificuldade, não tem jogo fácil. A gente vai, com certeza, classificar e, depois, é outra situação. Outro campeonato. O objetivo primeiro é classificar”, explica o treinador.

Baier concorda que o time do Criciúma foi frouxo na marcação, principalmente no primeiro tempo do jogo diante dos paranaenses e chega a dizer que o time foi “mole”. “Eu acredito que isso aconteceu no primeiro tempo. Fomos muito ‘moles’ nas divididas. Bolas aéreas, nós não ganhamos nenhuma. Fomos achando que iríamos ganhar o jogo fácil e o futebol não é assim. Se você não competir, não marcar, não diminuir, não ganha. Do outro lado tem jogadores que também estão dando a vida. Então, eu concordo plenamente. Mas o segundo tempo foi melhor, foi bom. Entramos no campo deles, criamos várias oportunidades”, pontua.

O técnico ficou feliz com as entradas de Gabriel Henrique e Minho, principalmente. Baier acredita que o Criciúma poderia até ter virado o jogo, nos minutos finais, mas cobra mais produtividade nas finalizações. “O Gabriel entrou bem, o Minho entrou bem. Depois, puxamos o Eduardo, como o Arilson estava muito desgastado, colocamos dois meias: Dudu (Figueiredo) e Fellipe Mateus, com o Henan. E criamos. Fizemos o gol de pênalti e poderíamos até ter virado o jogo. Teve uma cabeçada do Helder e mais uma situação de gol, então, lógico que o goleiro adversário também teve uma noite especial e defendeu, mas eu acredito que precisamos melhorar finalização. Já trabalhamos finalização a semana inteira, essa semana vamos trabalhar mais ainda para melhorar essa finalização e colocar a bola na rede”, comenta.

Baier reforça que todos os integrantes da Comissão Técnica e Diretoria alertaram sobre os perigos do confronto em Curitiba. “Na realidade, faltou atenção. E nós alertamos, tanto eu, Luciano (Almeida, auxiliar-técnico), Juliano (Camargo, diretor de futebol) e todos os demais. Nós falamos: entrem ligados, que é o jogo da vida do Paraná. E nós entregamos os dois gols. A bola estava em nosso pé. Oferecemos a chance para o Paraná sair com o placar de 2 a 0. Depois, a gente trocou, mudou e eu acredito que me agradou porque a gente criou várias chances. Muito mais que a gente criou contra o Novorizontino. O Bruno, goleiro, fez várias defesas, eu acho que era para nós até termos virado o jogo, mas é o futebol. Não adianta lamentar. Perdemos”, lamenta.

O treinador do Criciúma ficou enfurecido com a atuação de alguns jogadores. “Eu já queria trocar com 30 minutos do primeiro tempo. Alguns jogadores estavam muito abaixo e os que entraram me deram resposta boa. De velocidade, buscar o gol, criar e tentar, pelo menos. No segundo tempo, a gente dominou o jogo, o Gustavo não fez defesas”, diz.

O comandante esperava um time mais ligado no primeiro tempo. ”É uma pena, poderíamos ter melhorado e saído com três pontos. Se a gente entra com um pouco mais de atenção, mais ligados, no primeiro tempo. Então, acredito que agora é esfriar a cabeça, treinar mais, procurar no jogo em casa vencer”, pontua.

O treinador lamentou as chances perdidas pelo time carvoeiro.“Infelizmente a bola não entrou. Apenas uma. Mas poderia ter entrado mais. Mas é assim. É o futebol. Agora é esfriar a cabeça, voltar para a casa e trabalhar, a partir de segunda-feira. Vamos focar no jogo em casa para fazer uma boa apresentação, buscar uma vitória e, talvez, a classificação”, finaliza.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.