Após 14 anos, Criciúma e Próspera voltam a medir forças

Partida é encarada como decisiva para ambas as equipes, ameaçadas pelo rebaixamento no Catarinense

Foto: Arquivo/ TN
- PUBLICIDADE -

Gustavo Milioli

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A única certeza, é que será um ‘Clássico Carbonífero’ inesquecível. Criciúma e Próspera travam uma batalha direta na luta contra o rebaixamento na noite de hoje, pela sétima rodada do Campeonato Catarinense. De um lado o Tigre, dono de três títulos nacionais, e que hoje atravessa o maior jejum de vitórias da sua história. Do outro o Time da Raça, reestreante na elite estadual depois de 14 anos, com a chance de chegar a sua primeira classificação para um torneio nacional. As equipes entram em campo no Heriberto Hülse com objetivos similares: respirar mais aliviados ao final da rodada.

O Próspera vive uma melhor fase, na nona colocação, com sete pontos conquistados. O Criciúma ocupa apenas o 11º posto, com três pontos, e a vice-lanterna do Catarinense. Enquanto o Tricolor Carvoeiro não sabe o que é vencer desde outubro do ano passado, o Colorado Esquadrão já triunfou duas vezes nesta temporada. Se atingir a fase de quartas de final, terminando entre os oito primeiros, o clube da zona norte da Capital do Carvão terá a oportunidade de disputar a Série D do Brasileirão no próximo ano, um fato inédito em 75 anos de fundação.

O duelo terá início às 21h30, no Majestoso, com mando de campo do Tigre. O técnico Hemerson Maria segue desfalcado do atacante Uilliam Barros, ausente desde a terceira rodada, entregue ao departamento médico. O zagueiro Alemão, suspenso na derrota frente ao Joinville, retorna à formação titular. Dudu Figueiredo pode ser a novidade no meio-campo.

Do outro lado, o técnico Paulo Baier não poderá contar com o meia Galiardo, expulso no empate contra o Avaí. O zagueiro Gullithi e o lateral-esquerdo Xaro ainda são dúvidas para o clássico. Ambos sentiram dores no decorrer da rodada passada e foram poupados dos treinamentos, possuindo remotas chances de irem ao jogo.

Pressão de peso

Apesar de não estar conseguindo as vitórias, o Criciúma vem desempenhando um bom futebol dentro das quatro linhas. Ao menos, essa é a visão do treinador carvoeiro. Para Hemerson Maria, errar não pode mais ser uma opção. A equipe marcou apenas três gols em sete jogos no ano, muito por conta da imprecisão no momento de finalizar. “Nos primeiros jogos estávamos errando muito o alvo, agora acertamos o gol, mas estamos sendo imprecisos. Precisamos ter um capricho maior nas conclusões. Conversamos bastante, fazemos trabalhos de finalizações. A falta de gols incomoda, mas temos jogadores capazes de terem um aproveitamento melhor”, observa.

Contando com a partida desta noite, o Tigre terá cinco rodadas para reagir e evitar aquele que seria o maior vexame de sua história, um rebaixamento para a Série B do Catarinense. A pressão vai se tornando uma bola de neve, maior à medida que o tempo passa. E o tempo, ficando mais curto. “Acredito que o aspecto psicológico vem influenciando. Às vezes você está pressionado e acaba tomando decisões precipitadas dentro de campo. Qualidade técnica os nossos jogadores têm”, aponta o comandante.

Maria expõe que até a sua rotina pessoal está diferente por conta dos maus resultados, mas que procura manter o equilíbrio mental para passar tranquilidade ao elenco. “É difícil você colocar a cabeça no travesseiro e dormir, é uma responsabilidade muito grande defender as cores do Criciúma, mas como líder, eu tenho que ter a cabeça fria, chegar aqui disposto, porque se eu baixar a cabeça, os atletas irão sentir que a coisa não está indo pelo caminho certo”, afirma.

Técnico está com a confiança intacta

Após a derrota em Joinville, a diretoria do Criciúma realizou uma reunião e decidiu pela permanência da atual comissão técnica. O confronto de hoje é visto como crucial para o futuro do treinador à frente do Tigre. Por enquanto, ele segue respaldado. “A diretoria passou confiança, porque está vendo o trabalho. Está vendo que diariamente estamos aqui para extrair tudo dos atletas. Foram feitas cobranças dentro de um alto nível, eu pude falar algumas coisas também , e a gente fez um pacto em que vamos todos trabalhar para buscarmos a primeira vitória e a partir disso alavancarmos a nossa campanha no campeonato”, coloca Maria.

Foto: Celso da Luz/Criciúma EC

Mudanças no time titular não estão descartadas. O meia Dudu Figueiredo é cotado para iniciar o jogo, substituindo Mateus Anderson ou Moacir. “Nós temos uma maneira de jogar. Diante disso, podemos fazer uma ou outra alteração, mas a base da equipe tem que ser mantida a mesma, porque se você começar a mexer muito, tira de vez a confiança dos atletas. Teremos uma ou outra alteração de ordem tática, para ajustar mais a equipe”, antecipa.

Ele ressaltou estar feliz com o volume de jogo apresentado, necessitando apenas de uma concentração maior para que os triunfos finalmente apareçam.  “Precisamos urgentemente de uma vitória. A equipe está lutando, está fazendo por merecer, mas ainda falta a competência. A nossa intenção é entrar forte, respeitando o Próspera, e conquistar a vitória que será muito importante para a nossa sequência na competição”, arremata.

Últimos quatro jogos do Criciúma 

– Marcílio Dias (fora);

– Metropolitano (em casa);

– Concórdia (fora);

– Avaí (em casa).

Para continuar remando

O Próspera vem realizando uma campanha sólida. Tirando a goleada de 4 a 0 sofrida para o Concórdia, encarou de igual para igual todos os adversários. Nesta noite, o técnico Paulo Baier reencontra um velho conhecido. Como jogador, se tornou um dos maiores ídolos da história carvoeira em suas três passagens pelo Majestoso.

Carinhos à parte, o confronto será encarado por Baier como todos os outros. “Tenho uma gratidão pelo Criciúma, tenho histórias lá dentro, mas como estou defendendo o Próspera, não tenho outra alternativa a não ser fazer de tudo para que o Próspera saia vencedor”, destaca. Mesmo com os desfalques, o comandante mantém a convicção de preparar uma formatação composta por três atacantes. “O modo de trabalhar é o mesmo. Acredito que precisamos ter convicção naquilo que fazemos,e a convicção minha é essa (jogar com três atacantes). Sem Galiardo, estamos analisando ainda quem entrará no lugar. Temos o caso do Xaro, que sentiu, e do Gullithi, que também sentiu. Vamos ver quais serão as melhores opções”, adianta.

O Clássico Carbonífero é encarado como uma decisão também pelo lado do Time da Raça. O momento conturbado do Tigre serve ainda mais como um sinal de alerta aos prosperanos. “É um time que vive um momento ruim, mas temos que ter toda a atenção. Em geral, a camisa do Criciúma é pesada, a gente sabe que é um jogo decisivo, mas nós do Prospera não temos nada a ver com o que está acontecendo com o Criciúma. Precisamos estar preparados para um jogo difícil, complicado, que temos condições de vencer para darmos um grande passo rumo à permanência”, ressalta.

Foto: Lucas Colombo/EC Próspera

De olho nele

O centroavante Maicon Santana, com três gols marcados até aqui, é um dos destaques do Esquadrão Colorado. O autor do gol do título da Série C do Catarinense em 2018, também sob comando de Paulo Baier, vem inspirando cuidados aos defensores oponentes. Atuando como principal referência de ataque, o jogador de 1,90m de altura e 32 anos vive a sua melhor fase na carreira.

“Ele é muito importante. É um líder dentro do nosso grupo. Foi a primeira contratação que eu pedi, por já conhecer ele da primeira passagem. O Maicon (Santana) vive um grande momento, está se dedicando muito e acho que já merece jogar em um clube até maior”, evidencia o treinador.

Duas vitórias para o objetivo

O Próspera já começa a vislumbrar a permanência. O cálculo da comissão técnica é que, com 13 pontos, o Time da Raça já teria condições de atingir a meta inicial: a manutenção na elite. Isso quer dizer que serão necessários mais seis pontos entre os 15 que ainda estão por serem disputados.

“Hoje eu acredito que com mais duas vitórias, a gente permanece. Mas nós trabalhamos jogo a jogo, e o próximo é o mais decisivo. O nosso espírito está muito bom, o ambiente é favorável, no último jogo o time se comportou muito bem, voltou a guerrear, e por isso a motivação dos jogadores melhorou”, conclui.

Últimos quatro jogos do Próspera

– Juventus (em casa);

– Chapecoense (fora);

– Figueirense (casa);

– Brusque (fora).

Campeonato Catarinense – Turno – 7ª rodada

31/03 (Quarta-feira) – 21h30 – estádio Heriberto Hülse, em Criciúma

Criciúma: Gustavo; Léo, Alemão, Marcel Scalese e Hélder; Adenílson, Eduardo, Moacir e Dudu (Mateus Anderson); Pedrinho e Gabriel Silva. Técnico: Hemerson Maria.

Próspera: Roberto; Sueliton, Matheus Ernandes, Baiano (Gullithi) e Diego Soares (Xaro); Ramon Fraga, Jessé, Leomir e Jean Natal; Maicon Santana e Daniel. Técnico: Paulo Baier.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.