Içara avalia positivamente volta de alunos para ensino presencial

Aproximadamente 90% do ensino fundamental l compareceram às salas de aula, já na educação infantil a frequência foi de quase 80%

Foto: Divulgação

- PUBLICIDADE -

Esta segunda-feira, dia 23, foi o momento dos alunos da educação infantil e do ensino fundamental l, da rede municipal de Içara, voltarem ao ensino presencial. Conforme análise da Secretaria de Educação do município, os resultados foram positivos, porém é necessário que todos voltem para as salas de aula. O retorno total dos estudantes é possível pelo decreto do Governo do Estado nº 1.408, que diz que o distanciamento entre os estudantes na sala passa a valer para um 1 metro, e não mais 1,5 metro. Com isso as turmas podem receber 100% dos estudantes com espaçamento adequado. O ensino fundamental ll volta na segunda-feira que vem, dia 30.

Dos 2.338 alunos matriculados no ensino fundamental l, 2.135 retornaram para as salas de aula, 73 participaram remotamente, não retornaram e não trouxeram atestados 130 alunos, sendo 6%. Na educação infantil são 2.771 matriculados atualmente, 2.037 retornaram no modo presencial, 168 acompanharam online. Não retornaram e não trouxeram atestados 566 crianças, sendo 20%. Deste total são 140 alunos que não retornaram na pré-escola e 426 no berçário e maternal.

- PUBLICIDADE -

O retorno foi considerado positivo pela equipe e está sendo acompanhado de perto pelos profissionais. “Compreendo que foi o primeiro dia de retorno e alguns pais talvez ainda não tenham se dado conta que as aulas retornaram, mas é preciso voltar, temos um longo trabalho pela frente”, frisou a secretária de educação, ciência e tecnologia de Içara, Rose Reynaud.

O foco da equipe nos próximos dias, além de atender bem os alunos que estão retornando, é fazer uma busca aos alunos que não retornaram e não apresentaram atestado médico. “Faremos contatos telefônicos e acionaremos o sistema APOIA, que é o programa intersetorial de apoio ao aluno infrequente e à sua família. Obrigatoriamente, por lei, as crianças e adolescentes de 4 a 17 anos precisam estar na escola”, reforçou. “Para os que não tem obrigatoriedade, que são crianças de 6 meses a três anos, caso não retornem não poderemos manter as vagas. Existe uma fila de espera na maioria dos CEIs. Vamos fazer contato, não havendo retorno, vamos chamar as crianças que estão em fila de espera conforme a ordem de inscrição”, completou a secretária.

Vale lembrar que apenas alunos que comprovem as seguintes comorbidades podem continuar no ensino remoto: obesidade grave, asma, doença congênita ou rara ou genética ou autoimune, neoplasia, imunodeprimidos, hemoglobinopatia grave, doenças cardiovasculares, doenças neurológicas crônicas, diabetes mellitus, gravidez e puérperas.O distanciamento de 1,5 metro segue valendo nos demais espaços das escolas, principalmente no horário da alimentação. Máscaras continuam sendo obrigatórias, uso do álcool em gel, assim como a ventilação natural dos ambientes.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.